Linguagem Libras Facebook Twitter Intagram YouTube Linkedin Site antigo
Compartilhar no FaceBook Tweetar Compartilhar no Linkedin Compartilhar no Whatsapp Compartilhar no Email Imprimir
Publicado em: 22/09/2022 | Atualizado em: 23/09/2022

Startup Rio promove evento de encerramento de mais uma edição do programa

Por Ascom Faperj

Espaço de co-working na sede do Startup Rio, no bairro do Catete, permitiu troca de informações entre os responsáveis pelos projetos em diversas fases do programa

Nesta sexta-feira, dia 23 de setembro, a partir das 9h, o Programa Startup Rio, uma parceria entre a Secretaria Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) e a FAPERJ, promove evento para celebrar as 87 startups, de diferentes municípios, apoiadas em sua última edição. No auditório do programa, com sede no bairro do Catete, 21 projetos selecionados vão se apresentar para um grupo seleto de atores do ecossistema de Ciência e Tecnologia fluminense. O evento pode ser acompanhado em transmissão online no YouTube.

Uma das iniciativas de sucesso é a Jolly – um marketplace de recreação infantil. Já pensou em um match perfeito entre uma criança que quer se divertir sem celular ou computador e um local recreativo atraente e seguro perto de casa? Esta é a proposta da startup que oferece agendamento de sessões recreativas para crianças no contraturno escolar.

Usando tecnologia de geoposicionamento, a proposta do sistema é oferecer serviços de entretenimento e educação lúdica de forma bem direcionada, já que disponibiliza diversos filtros de opções de lazer e educação não-formal para crianças a partir dos 4 anos e adolescentes até os 15 anos.

A ideia dessa plataforma surgiu durante a pandemia. Raquel Nunes Graça, uma das idealizadoras, ressalta que é a única plataforma dedicada a promover atividades recreativas e lúdicas para crianças do Brasil e, sem o apoio do Startup Rio, a ideia teria sido “engavetada".

"Um pouco antes da pandemia, conheci um menino chamado Gabriel que morava em um pequeno prédio na Pedra do Sal, no centro do Rio, onde era a única criança. Todos os dias depois da escola, ele tentava convencer alguém para brincar de bola com ele no corredor. Era isso ou ficar jogando no celular a tarde toda. Isso me comoveu. Eu queria ajudá-lo a encontrar outras crianças para brincar de forma segura e supervisionada, talvez de prédios vizinhos", contou.

A proposta é conectar diversos tipos de espaços recreativos. Na primeira fase, os três sócios da Jolly estão trabalhando apenas com condomínios e espaços públicos, nos quais os pais são convidados a acompanhar a sessão. Em seguida, abrirão para cadastros de casas de festa, ateliês, sítios e playcenters, que precisarão cumprir com pré-requisitos de segurança.

"Seguiremos protocolos rígidos para a aprovação de profissionais. Todos precisam ter formação, comprovar experiência, enviar documentação digitalizada e passar por uma entrevista. O marketplace da Jolly será lançado oficialmente no dia das crianças, em 12 de outubro", explica Raquel.

Reciclagem – Outro projeto que será apresentado é o de uma plataforma de conexão entre geradores de recicláveis residenciais, catadores e ecopontos. Esse tipo de plataforma, incluindo parcerias com empresas e poder público, ainda não existe, segundo Rafael Scarpe Simão, o criador da Sirí Recicle de Casa.

"Fazemos a gestão da logística reversa das residências até os ecopontos para separação, sendo uma ferramenta para catadores e ecopontos. Recebemos as solicitações de coletas de resíduos, agrupamos em pacotes de coletas considerando localização e agenda, e disponibilizamos para o aceite dos catadores, que realizam as coletas e vendem os resíduos em ecopontos parceiros", explica Simão.

Programa – Intitulado Programa Startup Rio: Apoio à Difusão de Ambiente de Inovação em Tecnologia Digital no Estado do Rio de Janeiro foi criado em 2013 visando o desenvolvimento e a qualidade do ecossistema de empreendedorismo digital no Estado do Rio de Janeiro. O coordenador do Programa, Marcos Neme, explica que proposta é incentivar novas ideias que possam ser validadas e apropriadas pelo mercado. O programa procura estimular, apoiar e alavancar iniciativas de inovação em tecnologia digital, buscando transformar o estado em um ambiente propício e atrativo para o desenvolvimento do empreendedorismo digital.

De lá para cá, foram lançadas quatro edições do Programa. Em sua última, em 2020, o programa chegou a nove cidades. Além do Rio de Janeiro, hoje o StartupRio tem projetos de Barra Mansa, Campos dos Goytacazes, Engenheiro Paulo de Frontin, Itaperuna, Macaé, Mangaratiba, Petrópolis e Vassouras.

Neme ressalta os excelentes resultados do Programa. Nesses nove anos, foram investidos mais de R$ 15 milhões em 260 startups. Em breve, será lançado novo edital e proposta é ampliar o StartupRio para 20 polos em diferentes municípios do Rio.

Topo da página