Linguagem Libras Facebook Twitter Intagram YouTube Linkedin Site antigo
Compartilhar no FaceBook Tweetar Compartilhar no Linkedin Compartilhar no Whatsapp Compartilhar no Email Imprimir
Publicado em: 22/09/2022 | Atualizado em: 22/09/2022

Think tank sediado na PUC-Rio propõe ‘Caminhos para o Rio’

Débora Motta

Encontro realizado pelo 'Caminhos do Rio', núcleo de pensamento da PUC-Rio voltado a pesquisas e recomendações sobre os desafios e oportunidades para o desenvolvimento econômico fluminense (Fotos: Divulgação/IAG-PUC-Rio)

Propor linhas de pensamento que ajudem na formulação de soluções para os diversos desafios que se apresentam diante do desenvolvimento econômico fluminense. Esse é o objetivo do think tank ‘Caminhos para o Rio’ (https://www.thinktank-iag.org/), organizado no Instituto de Administração e Gerência (IAG), a Escola de Negócios da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio). “Um think tank é um núcleo de estudos avançados que produz pesquisas, análises e recomendações que contribuem para um ambiente de conhecimento, permitindo que os formuladores de políticas públicas e gestores do setor privado tenham informações analíticas para tomadas de decisões, além de exercerem um papel importante na disseminação de conhecimento à sociedade”, explicou o coordenador do projeto, o professor Francis Berenger, doutorando em Administração de Empresas pela PUC-Rio.

Com esse objetivo, o ‘Caminhos para o Rio’ surgiu para suprir uma necessidade dos alunos de graduação do curso de Administração da PUC-Rio, que ganharam uma nova formação acadêmica, que inclui o empreendedorismo. “O think tank surgiu em decorrência da criação da disciplina intitulada ‘Integradora de Práticas de Empreendedorismo’. Colocamos os alunos da graduação em contato com temas atuais e relevantes para o desenvolvimento do Rio de Janeiro, diante da realidade dos problemas do carioca, para que pensem nos desafios e oportunidades para melhoria da gestão da cidade e do estado. Promover um think tank dentro de um curso de graduação é uma proposta inovadora, pois normalmente são núcleos de pensamento associados a pesquisadores e profissionais mais experientes”, explicou Berenger.

Berenger destaca a importância do think tank como parte da grade curricular voltada ao empreendedorismo na graduação do IAG/PUC-Rio

Como parte da formação em empreendedorismo, os estudantes se organizam em grupos de pensadores que, sob a orientação de docentes, desenvolvem estudos sobre problemas e tendências relevantes para o Rio de Janeiro. Ao final de cada ciclo, agendas de oportunidades são elaboradas, a partir de um trabalho colaborativo que consolida visões das esferas acadêmica, pública e do setor produtivo para endereçar ideias que contribuam para o desenvolvimento e transformação da economia fluminense. “Produzimos relatórios executivos com um olhar analítico sobre diversos setores da economia, como Energia, Cultura, Óleo e Gás e Turismo, entre outros”, detalhou.

Nos dois últimos períodos, como parte do think tank, foram realizados dois eventos com apoio da FAPERJ, por meio do edital Auxílio à Organização de Evento Científico (APQ 2). Os temas dos painéis realizados, em novembro de 2021 e em junho de 2022, foram Nomadismo Digital e Empreendedorismo em Comunidades. “É um projeto que tem como diferencial um processo de aprendizagem prático e relevante, oferecendo um diálogo que vai além dos muros da universidade. Os alunos se deparam com problemas reais e atuais. Coloca os estudantes dentro da realidade da cidade em que vivem, produzindo um conteúdo aberto, dentro de uma visão de empreendedorismo, e propondo oportunidades, para que empreendedores e setor público possam consumir esse conteúdo na busca por soluções efetivas”, concluiu Berenger.

Topo da página