O seu browser não suporta Javascript!
Você está em: Página Inicial > Os Corais do Brasil
Publicado em: 27/08/2002

Os Corais do Brasil

Os Corais do Brasil

Eles existem há aproxima- damente 250 milhões de anos. Já resistiram a vários abalos ambientais, como maremotos e atividades vulcânicas. Atualmente, tentam sobreviver à interferência do homem na natureza, que representa hoje uma grande ameaça. Mais conhecidos como corais, esses animais marinhos são carnívoros e vivem fixos no fundo do mar.

Após identificarem 15 espécies de corais recifais, até então pouco estudadas, os pesquisadores do Departamento de Invertebrados do Museu Nacional/UFRJ, Clovis Barreira e Castro e Débora de Oliveira Pires, se sentiram estimulados a desenvolver um projeto para compreender como os corais se distribuem no espaço, como se associam e se reproduzem, visando especialmente sua conservação.

Colunas de cogumelo

Os corais recifais são encontrados em dois mil e quatrocentos quilômetros de extensão da costa brasileira. “A fauna de corais do Brasil, apesar de pouco diversa, se comparada a outras regiões do mundo, apresenta espécies raras que só existem aqui. Há formações recifais únicas no mundo, como os ‘chapeirões’, que são colunas em forma de cogumelo”, explica Débora Pires.

Reprodução de corais: primeiros dados

Segundo os pesquisadores, a escassez de informação sobre a vida dos corais, aliada a atividades na costa brasileira, como o turismo, a exploração de petróleo e a contaminação da água por substâncias tóxicas, contribuem para a degeneração desses animais marinhos. “Estamos gerando os primeiros dados científicos sobre a reprodução de corais de todo Atlântico Sul. Aqui no Brasil, nunca tinha sido feito nada parecido”, revela Clovis Castro.

O local escolhido para a realização deste levantamento foi o complexo recifal de Abrolhos, no Sul da Bahia. Segundo os pesquisadores, além da variedade de espécies encontradas no lugar, a abundância facilita o recolhimento de amostras para estudo, sem causar impactos ambientais. “Além do complexo recifal de Abrolhos abrigar a maior biodiversidade marinha do Brasil, um estudo como este necessita da coleta de muitas espécies que são abundantes na região. Caso esta pesquisa fosse realizada no Rio de Janeiro, por exemplo, o impacto ambiental seria muito maior”, explica Clovis Castro.

Mas este é apenas o primeiro passo. O objetivo dos pesquisadores é montar, futuramente, a partir deste conjunto de informações, um sistema de recuperação de recifes de corais. “A idéia é utilizar o banco de dados como suporte para semear recifes e recuperar outras comunidades de corais brasileiras, como a de Arraial do Cabo e de Búzios, por exemplo”, diz otimista a doutora Débora Pires.

Corais

O termo coral é usado para designar animais marinhos do grupo dos cnidários, que possuem esqueleto calcário ou córneo. O hábito de viver fixo no fundo do mar fez com que os corais fossem durante muito tempo considerados plantas. Atualmente, sabemos que eles possuem diversas características típicas do reino animal, incluindo a organização do sistema nervoso e muscular, características celulares, metabolismo respiratório e alimentação.

Os cnidários são um grupo de organismos que incluem, entre outros, as águas-vivas, medusas, anêmonas-do-mar, octocorais, corais-pétreos e corais-de-fogo. Apresentam corpo cilíndrico e cavidade gástrica com a estrutura de um saco aberto em uma extremidade (boca) e fechado na outra (ausência de ânus).

Como vivem

O fato de permanecerem a maior parte do seu ciclo de vida fixos no substrato, levou os corais a desenvolverem um modo de vida particular, com diversas funções adaptadas a este hábito sedentário. Os corais apresentam basicamente duas formas de reprodução: assexuada, sem a participação de gametas (células sexuais) e sexuada, com a presença de gametas. Na reprodução sexuada, os corais desenvolvem sistemas de fecundação que permitem aos gametas se encontrarem. Já a reprodução assexuada, identificada nos hidrocorais, ocorre por brotamento.

________________________________________________

Recifes de coral Os recifes de coral são formações criadas pela ação de comunidades de diversos organismos, como as algas calcárias e corais, entre outros organismos. Os recifes de corais são os ambientes mais ricos e produtivos do planeta, tão importantes para o ecossistema marinho como as florestas são para a vida na terra. Já está comprovada sua importância para a humanidade: eles protegem a costa brasileira da ação inesperada das ondas, abrigam e protegem grande número de organismos que são capturados e consumidos pelo homem, fazendo o papel de criadouro desses organismos. Além disso, servem como fonte de matéria-prima para pesquisas farmacológicas. Já se tem exemplos de substâncias que foram extraídas e transformadas em medicamentos para abaixar a pressão arterial, antibióticos, antitumorais, entre outros.

________________________________________________

Compartilhar: Compartilhar no FaceBook Tweetar Email
  FAPERJ - Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro
Av. Erasmo Braga 118 - 6º andar - Centro - Rio de Janeiro - RJ - Cep: 20.020-000 - Tel: (21) 2333-2000 - Fax: (21) 2332-6611

Página Inicial | Mapa do site | Central de Atendimento | Créditos | Dúvidas frequentes