O seu browser não suporta Javascript!
Você está em: Página Inicial > Estudo investiga câncer de boca e laringe
Publicado em: 26/08/2002

Estudo investiga câncer de boca e laringe

Estudo investiga câncer de boca e laringe

O Brasil apresenta uma elevada incidência de câncer de boca e laringe, duas vezes maior do que o número de casos registrados nos Estados Unidos e em alguns países europeus. O tabagismo e o consumo de álcool contribuem sensivelmente para o surgimento desses tumores. No entanto, pesquisas indicam que há outros fatores de risco ainda não revelados. Para investigá-los, cientistas europeus e latino-americanos uniram esforços e estão levantando informações referentes a cerca de dois mil pacientes em várias cidades do mundo. “Nós estamos levantando hipóteses de mecanismos ainda pouco pesquisados que podem vir a desempenhar algum papel na disseminação do vírus Papiloma Humano para a cavidade oral e para a laringe”, explica o pesquisador Sérgio Koifman, do Departamento de Epidemiologia e Métodos Quantitativos em Saúde, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Os pesquisadores acreditam que o vírus Papiloma Humano, conhecido por sua ação no câncer do colo uterino, bem como a exposição a pesticidas e outras substâncias químicas, pode ser acrescentado à lista de fatores responsáveis pelo câncer de boca e de laringe. Segundo Koifman, estão sendo estudados e comparados, entre outros fatores, as práticas sexuais de pacientes que apresentam câncer de boca e laringe e de pessoas que não foram atingidas pela doença. Para obter as primeiras conclusões a respeito do desenvolvimento destes tipos de câncer, os pesquisadores esperam reunir, até o ano 2001, informações sobre dois mil pacientes com câncer de laringe e de boca, comparando-as com a de pessoas que não desenvolveram a doença. A pesquisa, que conta com apoio da FAPERJ, reúne dados comparativos de pacientes que estão sendo acompanhados no Rio de Janeiro, São Paulo, Goiânia, Pelotas, Porto Alegre, Buenos Aires e Havana.

No Rio de Janeiro, os dados estão sendo levantados nos hospitais do Câncer/Instituto Nacional do Câncer, Souza Aguiar e de Traumato-Ortopedia. “Depois que o paciente aceita participar do estudo são coletadas informações como história médica, hábitos de tabagismo, consumo de bebida alcóolicas, consumo alimentar, vida sexual e detalhes sobre as atividades relacionadas ao trabalho ao longo da vida”, diz Koifman. Paralelamente, as amostras de células da mucosa da boca, de sangue e dos tumores são analisadas no Departamento de Genética da Fiocruz. As análises futuras também serão realizadas na Agência Internacional de Pesquisa do Câncer (IARC), da Organização Mundial da Saúde, em Lyon - França, e no Instituto de Medicina Tropical da Universidade de São Paulo.

Compartilhar: Compartilhar no FaceBook Tweetar Email
  FAPERJ - Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro
Av. Erasmo Braga 118 - 6º andar - Centro - Rio de Janeiro - RJ - Cep: 20.020-000 - Tel: (21) 2333-2000 - Fax: (21) 2332-6611

Página Inicial | Mapa do site | Central de Atendimento | Créditos | Dúvidas frequentes