O seu browser não suporta Javascript!
Você está em: Página Inicial > Comunicação > Arquivo de Notícias > Entra em cena a festa do teatro centenário carioca
Publicado em: 08/11/2007

Entra em cena a festa do teatro centenário carioca

 

Marcelo Reis

   
  Estudantes da Martins Pena: revitalização da  
  escola contou com recursos da Fundação 
Daqui a dois meses, em janeiro de 2008, a Escola Técnica Estadual de Teatro Martins Pena comemora um século dedicado às artes cênicas. A instituição, que desde 2006 foi transferida para a Secretaria de Ciência e Tecnologia, tutelada pela Fundação de Apoio a Escola Técnica – Faetec, está se preparando para celebrar a data com uma série de eventos que vai durar até dezembro.

 

“Estamos produzindo um livro com a memória da escola, que será lançado em junho que vem, e também um documentário, que será finalizado no fim de 2008”, revela Marcelo Reis, diretor da escola há 14 meses. “Temos também um grupo de estagiários de unidades da Faetec trabalhando na montagem do Centro de Memória, que num segundo momento, será o Centro de Referência do Teatro Brasileiro”, adianta Reis.

 

Mas os preparativos da festa começaram este ano, com uma série de intervenções na infra-estrutura e no currículo da escola, oriundos de fundos da FAPERJ. “Os recursos da Faperj geraram informatização geral da escola”, comemora o diretor. “Hoje temos 15 computadores em rede, antes só havia dois, reestruturamos o teatro de arena, no mês que vem montaremos um home studio, uma espécie de estúdio para gravação de trilhas sonoras para as peças que montamos e para o curso de direção musical”, enumera Reis. Está em cartaz a peça “A las cinco de la tarde”, de Gabriel García Lorca, com suporte da FAPERJ. “Tecnologia não é só nanochip, a tecnologia também se aplica ao corpo, e na pedagogia moderna ninguém entende uma escola sem computador”, afirma o diretor.

 

“Em meados de dezembro, começamos as reformas e ampliações do prédio com recursos do governo do estado no valor de R$ 266 mil”, diz Marcelo, que ainda está buscando apoio de Petrobras, BNDES, MinC e Eletrobrás e fechando parcerias com o Instituto Rio Branco e com a Academia Brasileira de Letras – Martins Pena é patrono da ABL. Além de salas de aula equipadas, há uma nova sala de vídeo equipada com home theater e uma biblioteca com cerca de 3.500 títulos, incluindo 1.500 peças de teatro. O prédio da Rua Vinte de Abril, 14, Centro, abriga ainda o Teatro Luiz Peixoto, de palco italiano, construído em 1957, e o Teatro de arena Armando Costa, de 1985. “Este ano, o teatro foi reformado, na sua parte elétrica e cenotécnica”, conta Marcelo Reis.  

 

Marcelo Reis 

   
  Cena de Prometeu: peças são 
  trabalho de conclusão de curso

A Escola Técnica Estadual de Teatro Martins Pena está com inscrições abertas até o dia 22 de novembro para o curso técnico de ator. O ingresso acontece apenas por concurso. Há 40 vagas para o curso que tem duração de 2.400 horas em cinco períodos e é voltado para quem já tem o curso de nível médio. A inscrição é feita exclusivamente pelo site www.faetec.rj.gov.br/concurso2008. A prova será no dia 16 de dezembro. Mais informações pelo telefone (21) 2117-2450.

 

A ETE de Teatro Martins Pena é a mais antiga instituição do gênero na América Latina. Mais precisamente, foi a primeira escola de teatro da AL, fundada em janeiro de 1908 por Coelho Neto, que a dirigiu por 25 anos e também foi seu primeiro diretor. O Teatro Municipal, o Instituto de Educação, uma sala na Avenida Venezuela e o Teatro João Caetano foram alguns de seus endereços provisórios. Desde 1950, funciona permanentemente no prédio tombado no Patrimônio Histórico Nacional da Rua Vinte de Abril, onde nasceu o barão do Rio Branco.

 

A escola, que teve vários nomes, como Escola Dramática Municipal, Escola Coelho Neto, Escola de Teatro e Cinema, passou a ser chamada de Escola de Teatro Martins Pena, em 1953. Desde a inauguração da escola já fizeram parte do corpo docente: Cecília Meirelles, Viriato Correia, Gustavo Dória, Fernando Pamplona, Junito de Souza Brandão, Aderbal Freire Filho, Alcione Araújo, Paulo José, Edu Lobo, Denise Stocklos. E foi dirigida por Oduvaldo Viana, José Wilker, Anselmo Vasconcellos, Maria Tereza do Amaral e Marília Trindade Barboza, entre outros. Alguns atores que passaram pela instituição: Procópio Ferreira, Sadi Cabral, Tereza Rachel, Almir Cabral Pestana, Carlos Lacerda, Jayme Periard, Denise Fraga, Ilya São Paulo, Carlos Machado da Silva, Joana Fomm, Claudia Jimenez, Maria Ceiça e outros.

Compartilhar: Compartilhar no FaceBook Tweetar Email
  FAPERJ - Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro
Av. Erasmo Braga 118 - 6º andar - Centro - Rio de Janeiro - RJ - Cep: 20.020-000 - Tel: (21) 2333-2000 - Fax: (21) 2332-6611

Página Inicial | Mapa do site | Central de Atendimento | Créditos | Dúvidas frequentes