O seu browser não suporta Javascript!
Você está em: Página Inicial > Comunicação > Arquivo de Notícias > Startup automatiza sistema de gestão para clínicas e consultórios médicos
Publicado em: 31/01/2019 | Atualizado em: 01/02/2019

Startup automatiza sistema de gestão para clínicas e consultórios médicos

Juliana Passos

 A Shosp surgiu como alternativa simplificada para
gerenciar clínicas pequenas e
 médias (Fotos: Divulgação)

As dificuldades recorrentes enfrentadas pelo Hospital Santa Casa de Misericórdia, em Goiânia, para receber pagamentos vindos de diferentes planos de saúde, há muito intrigava o engenheiro da computação Rodolfo Canedo, funcionário do hospital. Em 2010, em uma iniciativa para facilitar a comunicação entre os gestores de clínicas e hospitais e os planos de saúde, a Agência Nacional de Saúde (ANS) chegou a criar e disponibilizar um programa de padronização para agilizar a troca de informações entre as partes e dar mais transparência às transações. Mas apenas as grandes empresas conseguiam arcar com os custos de um software de grande porte para gerenciar seu negócio. E foi assim que nasceu a ideia de criar a Shosp, ainda em 2012, como uma ferramenta dedicada às clínicas pequenas e médias e a parte ambulatorial daquelas de grande porte.

No começo, Canedo trabalhava sozinho, com orientação de professores da Pontifícia Universidade Católica de Goiânia (PUC-GO), onde cursou Engenharia da Computação. Mais tarde, contratou a primeira funcionária, Maísa Machado, para cuidar da parte administrativa. Em pouco tempo, ela se transformaria em sócia de Canedo. Nos primeiros anos, as vindas do engenheiro ao Rio de Janeiro eram esporádicas, destinadas principalmente à captação e manutenção de clientes.

Em uma de suas visitas à capital fluminense, ele soube do programa do governo do estado de fomento às startups. Decidiu, então, inscrever o projeto da Shosp no edital Startup Rio: Apoio à Difusão de Ambiente de Inovação em Tecnologia Digital no Estado do Rio de Janeiro – uma parceria da Secretaria Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação com a FAPERJ. Deu certo, o projeto foi selecionado e Canedo trocou Goiânia pelo Rio, atraído pela estrutura de mentoria para o desenvolvimento do negócio oferecido pelo programa. Os negócios em sua cidade natal, no entanto, continuaram em operação. Com a ajuda do programa de fomento ao empreendedorismo digital no estado do Rio de Janeiro, o engenheiro conseguiu abrir uma nova sede da empresa, no Rio. Hoje, a empresa já conta com 12 funcionários.

O sistema Shosp, explica Canedo, opera por quatro pilares da gestão de uma clínica: agendamento de pacientes, prontuário eletrônico, administração com controle financeiro de estoque e a elaboração do faturamento TISS – Troca de Informações na Saúde Suplementar, estabelecida pela ANS como um padrão obrigatório para as trocas eletrônicas de dados de atenção à saúde dos beneficiários de planos, entre os agentes da Saúde Suplementar. O sistema de agendamento permite o envio automático de SMS – o Serviço de Mensagens Curtas, ou Short Message Service, no original, em inglês – para os pacientes, permitindo economia de tempo de secretárias com chamadas para confirmação de consultas e exames. O engenheiro conta que a utilização de algoritmos na elaboração das ferramentas gera inteligência, baseada nos dados, facilitando o trabalho para os gestores das clínicas e auxiliam nas tomadas de decisão.

A rotina de pagamentos no hospital onde 
trabalhava, inspirou 
Canedo a criar a startup

Para os pacientes, entre as vantagens oferecidas pela startup está a possibilidade de ganhar a receita do médico, impressa e datilografada, sem a necessidade de decifrar sua grafia, além de ter a versão digital no sistema, caso necessite consultá-la. A ferramenta permite também que os exames solicitados e o histórico do paciente fiquem armazenados em um banco de dados criptografado. “Temos como foco sensibilizar o paciente para a necessidade de cumprimento das orientações médicas, e, com isso, trazer maior eficiência ao tratamento, com economia de recursos e aumento de lucros”, detalha o empreendedor. A premissa é de que quanto mais informação for compartilhada de forma segura, maior é o engajamento do paciente em seu tratamento. Também há um canal para comunicação direta entre médico e paciente e uma sugestão automática para marcação de retorno.

Outra funcionalidade destacada por Canedo é a capacidade do sistema de sugerir a adoção de novas práticas a partir das informações armazenadas pelo programa e pelas avaliações deixadas por clientes, que tanto podem contribuir para o bom desempenho dos recepcionistas, como dos médicos que atuam na clínica. “Em um dos nossos cases de sucesso, a clínica descobriu gargalos de atendimento e passou a oferecer treinamento para os profissionais. Isso trouxe um maior retorno financeiro para a clínica, porque a propaganda boca a boca é uma das melhores formas de aumentar o número de clientes”, conta.

A empresa passa por um momento decisivo em seu planejamento estratégico para continuar em ritmo de crescimento. Financiada em quase sua totalidade com recursos próprios, o engenheiro busca agora novas fontes de financiamento, a fim de expandir o negócio.

Compartilhar: Compartilhar no FaceBook Tweetar Email
  FAPERJ - Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro
Av. Erasmo Braga 118 - 6º andar - Centro - Rio de Janeiro - RJ - Cep: 20.020-000 - Tel: (21) 2333-2000 - Fax: (21) 2332-6611

Página Inicial | Mapa do site | Central de Atendimento | Créditos | Dúvidas frequentes