O seu browser não suporta Javascript!
Você está em: Página Inicial > Comunicação > Arquivo de Notícias > Kit detecta rotavírus com rapidez e menor custo
Publicado em: 18/01/2007

Kit detecta rotavírus com rapidez e menor custo

Vinicius Zepeda

Kit criado por Waldemir Silveira permite realizar exames de diagnóstico de rotavírus em somente três minutosAtualmente a diarréia por rotavírus é responsável por cerca de 300 mil internações no Sistema Único de Saúde (SUS) por ano no país. De presença freqüente no Brasil, o rotavírus contribui para engrossar o índice de morte de crianças menores de cinco anos por diarréia aguda, que, segundo o Ministério da Saúde, desde 2000 vem se mantendo em pouco mais de 4%. Muitas dessas fatalidades se devem à demora em obter um diagnóstico específico. Desenvolvido pelo farmacêutico e mestre em Tecnologia de Imunobiológicos Waldemir de Castro Silveira, com o apoio da FAPERJ, o novo kit para detecção do principal causador da doença tem três grandes vantagens: baixo custo, simplicidade de uso e rapidez. Composto de microesferas de poliestireno e do anticorpo anti-rotavírus, o material fabricado no Brasil permite que os resultados saiam em apenas três minutos. O novo composto já foi testado e sua produção começará no segundo semestre deste ano.

O produto utiliza os mesmos processos já comuns no diagnóstico da doença, o teste Elisa (Enzyme Linked Immuno Sorbent Assay), e o de aglutinação em látex. Mas como a matéria-prima é totalmente nacional, os custos serão mais baixos."Reduziremos em dez vezes o preço do exame, que cairá de R$ 6 para apenas R$ 0,60", explica Silveira. Outra vantagem é dispensar o uso laboratórios e equipamentos complexos, o que acelera a obtenção do diagnóstico.

Teste paar diagnosticar rotavírus: aglutinação visível= positivo; aspecto leitoso (imagem branca)= negativoAlém da rapidez no resultado, o kit já fornece um diagnóstico diferencial, detectando a presença do rotavírus. Isso evita o uso desnecessário de antibióticos e permite uma melhora na qualidade do atendimento nos serviços de saúde, muitas vezes com excesso de demanda. "Cabe acrescentarmos também que nossa pesquisa é extremamente focada na epidemiologia infantil da doença em nosso país. Ou seja, este material está adequado para investigar o tipo mais comum de vírus causador de diarréia entre nós, o rotavírus do grupo A. Esperamos muito em breve investigar os outros vírus também freqüentes e emergentes no Brasil, como os astrovírus, adenovírus e norovírus", explica.

País se encontra na vanguarda mundial da prevenção

Principal agente causador da diarréia aguda infantil e responsável pela morte anual de 611 mil crianças no mundo todo, sobretudo em países em desenvolvimento, segundo o pesquisador Waldemir de Castro Silveira, o rotavírus é responsável por infecções inclusive em países do Primeiro Mundo e de difícil erradicação. O farmacêutico lembra que o trabalho do Ministério da Saúde para o combate à diarréia vem merecendo destaque internacional. "Fica difícil atribuirmos a proliferação desta doença a problemas de saneamento ou à poluição. O que temos feito é identificarmos métodos de detecção simples e rápidos para que possamos auxiliar de modo eficaz e seguro no combate e na prevenção da doença."

O rotavírus mata anualmente 611 mil crianças no mundoO pesquisador lembra ainda que, em 2006, o país introduziu uma vacina monovalente, específica para um único tipo de vírus, anti-rotavírus e incluiu em seu calendário de imunizações. "Este processo abre caminho para que outras vacinas contra diarréia sejam desenvolvidas futuramente em nosso país", acredita Silveira. Ele inclusive já tem outros projetos em andamento, apoiados pela FAPERJ. "Recentemente fui contemplado pelo edital Rio Inovação, o que me permitirá buscar outros métodos", acrescenta.

 

O desenvolvimento do kit foi tema da dissertação de mestrado do pesquisador. A pesquisa Desenvolvimento de teste diagnóstico rápido para detecção de rotavírus, realizada em Bio-Manguinhos em parceria com o Instituto Oswaldo Cruz (IOC), ganhou o Prêmio de Incentivo em Ciência e Tecnologia para o Sistema Único de Saúde (SUS), edição 2006, na categoria Mestrado.

A premiação, oferecida anualmente pelo Ministério da Saúde e pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), contribui para o aprimoramento dos serviços da rede pública de saúde. O resultado disto tudo, certamente deve ter deixado Waldemir Silveira orgulhoso. Afinal, a família brasileira agradece e as crianças brincam mais despreocupadas.

Entenda da doença:

A rotavirose: Doença que provoca diarréia aguda, causada pelo rotavírus. Transmitida através das fezes de pessoas infectadas ou pela água, alimentos e objetos contaminados. Caracteriza-se por diarréia abundante de 3 a 8 dias, vômito, febre alta e dores abdominais. Os sintomas aparecem de um e dois dias após a contaminação. A evolução da enfermidade pode causar desidratação grave, que em muitos casos pode levar à morte. Crianças menores de cinco anos são as principais vítimas, mas também afeta adultos, embora com menor gravidade. Pode ainda ocasionar surtos em escolas, berçários, creches e hospitais.

Teste ELISA (Enzyme Linked Immuno Sorbent Assay): É um teste imunoenzimático (teste imunológico que usa enzimas, os catalisadores naturais das reações bioquímicas do nosso corpo) que permite a detecção de anticorpos específicos (por exemplo, contra o rotavírus) no soro (sangue).Um resultado positivo num teste de ELISA é sempre confirmado por outros testes específicos como é o caso do Western blot, que detecta proteínas do vírus, e do PCR, que detecta os ácidos nucleicos virais. Exemplo: teste anti-HIV (AIDS).

Teste de aglutinação em látex: É um teste em que anticorpos contra alguma substância (exemplo; capa do rotavírus) são ligados a partículas de látex, que se aglutinam rapidamente e de maneira visível em contato com material contendo a substância buscada (exemplo: fezes com rotavírius). Exemplo: teste de gravidez (urina), teste de rotavírus nas fezes.

Compartilhar: Compartilhar no FaceBook Tweetar Email
  FAPERJ - Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro
Av. Erasmo Braga 118 - 6º andar - Centro - Rio de Janeiro - RJ - Cep: 20.020-000 - Tel: (21) 2333-2000 - Fax: (21) 2332-6611

Página Inicial | Mapa do site | Central de Atendimento | Créditos | Dúvidas frequentes