O seu browser não suporta Javascript!
Você está em: Página Inicial > Comunicação > Arquivo de Notícias > Fundação anuncia lançamentos dos editais Pós-Doutorado Nota 10 e TCT
Publicado em: 23/05/2019 | Atualizado em: 24/05/2019

Fundação anuncia lançamentos dos editais Pós-Doutorado Nota 10 e TCT

Por Ascom Faperj

A Fundação anunciou nesta quinta-feira, dia 23 de maio, o lançamento de novas edições dos programas Pós-Doutorado Nota 10 (PDR 10) e Treinamento e Capacitação Técnica (TCT). Lançados regularmente ao longo dos últimos anos, nenhum dos dois trazem mudanças significativas. Nos dois editais o prazo para Submissão das propostas on-line se estende até o dia 4 de julho. No caso do programa Pós-Doutorado Nota 10, serão concedidas até 75 bolsas, no valor mensal de R$ 5.200, e uma taxa de bancada para projetos, no valor mensal de R$ 1 mil. Já o TCT recebeu dotação de R$ 2 milhões.

Programa Pós-Doutorado Nota 10

Para incentivar os programas de pós-graduação stricto sensu sediados no estado do Rio de Janeiro, de conceitos 4, 5, 6 ou 7 pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), o edital prevê a concessão de bolsas a recém-doutores com destacado desempenho acadêmico, fomentando atividades de pesquisa científica, tecnológica e de inovação. Para isso, o edital seleciona propostas que aumentem qualitativa e quantitativamente o desempenho científico e tecnológico do estado, contribuindo, assim, para a competitividade internacional da pesquisa brasileira. Visa também apoiar projetos que objetivem a formação de recursos humanos para ensino, pesquisa e inovação, em nível de pós-graduação stricto sensu, e estejam relacionados à inovação e ao incremento da cooperação científica com empresas.

Nesse sentido, o programa pretende selecionar projetos que visem: I. à absorção temporária de jovens doutores, com comprovada experiência em P,D & I, para atuarem em projetos de pesquisa e desenvolvimento nas diferentes áreas do conhecimento; II. ao reforço à pós-graduação e aos grupos de pesquisa sediados no estado do Rio de Janeiro; III. à renovação de quadros funcionais nas instituições de pesquisa sediadas no Estado do Rio de Janeiro, vinculados ou não a empresas públicas ou privadas, para a execução de ensino, orientação e pesquisa em nível de pós-graduação stricto sensu.

Candidatos em estágio de pós-doutoramento poderão apresentar propostas, desde que estejam sob a supervisão de pesquisadores vinculados a programas de pós-graduação stricto sensu (conceito 4, 5, 6 ou 7 pela Capes) de instituições de ensino superior (IES) ou de centros e institutos de pesquisa, todos reconhecidos pela Capes e sediados no Estado do Rio de Janeiro. Para se tornar elegível, o candidato deverá possuir pelo menos duas publicações classificadas pela Capes como Qualis B1 e outras duas, com Qualis e JCR, em que seja primeiro autor do trabalho. Serão também considerados os prêmios obtidos, tempo médio de titulação e conceito do programa de pós-graduação de origem. Mas caberá ao orientador/supervisor do candidato à bolsa ser o proponente do projeto. Esse orientador também deverá manter alta produção acadêmica na área de pesquisa com bolsa de produtividade do CNPq (níveis 1, 2 ou sênior do CNPq e/ou bolsa Cientista ou Jovem Cientista do Nosso Estado, ou equivalente). Somente poderá ser solicitada uma bolsa por orientador.

Para o presidente da FAPERJ, Jerson Lima Silva, "o Programa de Pós-doutorado Nota 10, que foi criado há alguns anos baseado nas experiências bem-sucedidas com o Bolsa Nota 10 para os programas de mestrado e doutorado, cumpre o importante papel de selecionar doutores altamente qualificados para exercerem pesquisa de fronteira no estado do Rio de Janeiro”. De acordo com Lima Silva, o PDR Nota 10 visa ampliar os esforços para a fixação de jovens e promissores pesquisadores em estruturas de excelência das instituições de ciência e tecnologia do estado do Rio de Janeiro, bem como atrair jovens pesquisadores de fora do estado e do País. "Particularmente em um momento de crise de financiamento da pesquisa no estado e no País, não se pode perder os excelentes doutores que foram formados e que estão sendo atraídos para países desenvolvidos. O País ainda tem um número insuficiente de pesquisadores por milhão de habitantes – cerca de dez vezes menos que os países desenvolvidos", acrescentou o presidente. Tal como nas modalidades do programa Bolsa Nota 10, o PDR 10 procura selecionar os pós-doutores de melhor desempenho e maior destaque acadêmico. É, portanto, um edital bastante competitivo, em que o peso maior da avaliação recai sobre o candidato à bolsa, seu histórico de pesquisa e a estrutura que irá recebê-lo.

Os recursos para o programa totalizam pouco mais de R$ 10 milhões, definidos na Programação Orçamentária da FAPERJ, e que permitirão a concessão de até 75 bolsas, conforme foi aprovado pelo Conselho Superior da Fundação. Cada bolsa terá o valor mensal de R$ 5.200, a que se somará uma taxa de bancada para projetos, no valor mensal de R$ 1.000, destinada exclusivamente a custear gastos com as atividades do bolsista no projeto. Na rubrica custeio, podem ser financiadas despesas com hospedagem e passagens para a participação em eventos acadêmicos de curta duração (destinadas ao bolsista), despesas com a realização de trabalho de campo e treinamento em novas técnicas de laboratório, a produção de materiais didático-instrucionais, editoração gráfica e material de divulgação de atividades exclusivamente relacionadas ao projeto e material de consumo necessário ao desenvolvimento do projeto e ao funcionamento de laboratório. Na rubrica capital, podem ser adquiridos material permanente e equipamentos de pequeno porte necessários ao desenvolvimento do projeto e ao funcionamento de laboratório.

Com vigência de doze meses, as bolsas poderão ter até duas renovações por igual período e contarão com prazo máximo de até 36 meses para sua execução.  É importante ressaltar que os candidatos à bolsa deverão ter obtido o grau de doutor entre 31 de maio de 2014 e 04 de julho de 2019. Candidatos que não tiverem obtido o grau de doutor dentro deste período serão desclassificados.

Confira a íntegra do edital Pós-Doutorado Nota Dez – 2019

Treinamento e Capacitação Técnica

O programa Treinamento e Capacitação Técnica (TCT) 2019 tem por objetivo treinar e aperfeiçoar técnicos de nível fundamental, médio e superior que participem de atividades de apoio a projetos financiados pela FAPERJ, desenvolvidos por pesquisadores com vínculo empregatício/funcional em instituições de ensino e pesquisa do estado do Rio de Janeiro, visando à valorização da formação educacional obtida e inserção no mercado de trabalho. Para isso, serão concedidas bolsas, com duração de 12 meses, admitindo-se, no máximo, duas renovações por igual período.

Poderão ser proponentes pesquisadores com grau de doutor ou equivalente e vínculo empregatício/funcional em instituições de ensino e pesquisa sediadas no estado do Rio de Janeiro, com projetos de pesquisa financiados pela FAPERJ, ao qual se pretende vincular as atividades do bolsista (para este fim, NÃO serão considerados projetos relativos a Auxílio à Organização de Eventos (APQ 2); Auxílio Editoração (APQ 3); bolsa de Apoio a Pesquisador Visitante (BAPV); Auxílio a Pesquisador Recém-Contratado (ARC); assim como os Auxílio ao Desenvolvimento e à Inovação Tecnológica (ADT 1), o Auxílio à Inserção de Novas Tecnologias no Mercado (ADT 2), Auxílio à Criação, Reforço e Modernização de Infraestrutura (ADT 3) e Auxílio à Inovação Tecnológica no Setor Rural (ADT 4). A proposta deverá contar com a anuência da instituição à qual o coordenador/orientador está vinculado.

Os projetos submetidos deverão ainda refletir a necessidade de treinamento e capacitação de profissionais em atividades técnicas, para a implantação, modernização e o funcionamento de laboratórios e/ou equipamentos multiusuários. O bolsista indicado deverá ser técnico de nível fundamental, médio ou superior, com ou sem pós-graduação, e ter habilidade específica essencial à execução de projeto de pesquisa. As propostas deverão ainda ser classificadas nas seguintes faixas, de acordo com a qualificação e atividade a ser desenvolvida pelo bolsista: TCT 1: técnicos de nível fundamental, com curso fundamental concluído no ato da inscrição e  sem formação específica; TCT 2: técnicos de nível médio, com ensino médio concluído no ato da inscrição e sem formação específica; TCT 3: técnicos de nível médio, com ensino técnico de nível médio concluído no ato da inscrição e com formação específica na área a que se destina; TCT 4: técnicos de nível superior, com graduação concluída no ato da inscrição e formação específica na área a que se destina; TCT 5: técnicos com pós-graduação stricto sensu, nível Mestrado, concluído no ato da inscrição e com formação específica na área a que se destina.

A análise dos projetos submetidos será feita de acordo com critérios do mérito técnico-científico; a relevância para o desenvolvimento científico, tecnológico, ambiental, econômico e social do estado do Rio de Janeiro; o caráter multidisciplinar; o escopo multiusuário das atividades a serem desenvolvidas pelo bolsista solicitado; o impacto no desenvolvimento de programas de pós-graduação stricto sensu da instituição a que estão vinculados os pesquisadores; a clareza quanto à definição dos fatos e metas relativos ao acompanhamento e avaliação pela FAPERJ, da evolução do trabalho desenvolvido; a experiência e capacidade técnica do proponente e do bolsista; a infraestrutura disponível na Instituição para a realização das atividades técnicas relativas ao desenvolvimento do projeto e do plano de trabalho do bolsista propostos; os Curricula vitae do coordenador/orientador e do bolsista, em relação às atividades previstas para a execução dos projetos; e a adesão do plano de trabalho do bolsista ao projeto de pesquisa do coordenador/orientador financiado pela FAPERJ.

Confira a íntegra do edital Treinamento e Capacitação Técnica – 2019

Compartilhar: Compartilhar no FaceBook Tweetar Email
  FAPERJ - Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro
Av. Erasmo Braga 118 - 6º andar - Centro - Rio de Janeiro - RJ - Cep: 20.020-000 - Tel: (21) 2333-2000 - Fax: (21) 2332-6611

Página Inicial | Mapa do site | Central de Atendimento | Créditos | Dúvidas frequentes