O seu browser não suporta Javascript!
Você está em: Página Inicial > Comunicação > Arquivo de Notícias > Notas – Semana de 25 a 31 de outubro de 2018
Publicado em: 25/10/2018

Notas – Semana de 25 a 31 de outubro de 2018

Instituto Serrapilheira apoia a reprodutibilidade da ciência nacional 
Proposta pelo professor Olavo Amaral, do Instituto de Bioquímica da Universidade Federal do Rio de Janeiro (IBqM/UFRJ), e com apoio do Instituto Serrapilheira, a “Iniciativa Brasileira de Reprodutibilidade” pretende reunir uma força-tarefa de laboratórios para reproduzir de 50 a 100 resultados apresentados em experimentos brasileiros que foram publicados em diversos periódicos, nos últimos 20 anos. As inscrições ficam abertas até o dia 15 de novembro. O projeto surgiu diante da constatação de que boa parte dos experimentos publicados não são reprodutíveis, tornando essa uma questão urgente na ciência internacional. Serão selecionados de cinco a dez experimentos por laboratório, que serão desenvolvidos entre 2019 e 2021. Na primeira metade de 2019 serão definidos os protocolos de pesquisa. A ideia é realizar testes na estrutura atual dos laboratórios, sem que altere a rotina dos demais trabalhos e com os custos pagos pelo Instituto Serrapilheira. Para realizar o cadastro, o pesquisador precisa listar infraestrutura e equipamentos disponíveis para cada técnica selecionada, informações sobre a manutenção desses equipamentos, condições de biotério, entre outros. O objetivo do trabalho é realizar o primeiro estudo sistemático de reprodutibilidade a nível nacional. “Independentemente dos resultados, a geração destes dados nos permitirá refletir sobre nossas práticas individuais e coletivas, ajudando a colocar o Brasil na vanguarda do desenvolvimento de uma ciência mais confiável a nível mundial”, escrevem os pesquisadores na página da iniciativa. Mais informações: https://www.reprodutibilidade.bio.br

Mulheres nas Forças Armadas será o tema de seminário na FGV
A Escola de Ciências Sociais da Fundação Getúlio Vargas (FGV) realiza, no dia 30 de outubro, o seminário “Mulheres e Forças Armadas no Brasil”. A ideia do encontro, que é realizado pelo Laboratório de Estudos sobre Militares, da FGV, em parceria com o Laboratório de Estudos de Segurança e Defesa, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), é discutir as questões de gênero dentro das Forças Armadas no Brasil. Na ocasião, a professora do curso de graduação em História da Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro-PR), Rosemeri Moreira, falará sobre o tema "Mulheres, militarismo e memória: a Organização Feminina Auxiliar de Guerra (1942-1945)", abordando o trabalho exercido pelas Organizações Femininas Auxiliares de Guerra (OFAGs). Ela explica que essas organizações foram instituídas nas cidades do Rio de Janeiro, São Paulo e Santos, entre 1942-1945, e permanecem ausentes na pesquisa histórica. Essas mulheres fardadas e com status de militares prestaram um serviço inestimável ao atuarem, por exemplo, em postos de racionamento e nas instruções de defesa passiva à população, além de participarem de solenidades oficiais e desfiles militares. No entanto, ao final da guerra, as OFAGs foram automaticamente extintas, impedindo que exercessem atividades em áreas até então a elas negadas, tais como as polícias e o próprio Exército. Já a professora Thaís Melo abordará o tema “Mulheres em armas: representações, mitos e tensões no contexto da inserção feminina às Forças Armadas brasileiras”. Thaís, que é doutoranda em Antropologia Social (PPGAS/MN/UFRJ) e mestre em História, Política e Bens Culturais pelo Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil (CPDOC/FGV), abordará o contexto da integração das mulheres à carreira bélica no Brasil. A ideia é discutir as representações sociais que historicamente dificultaram a inserção da mulher nas Forças Armadas. O encontro é gratuito e será realizado, das 14h às 16h, na sede da FGV (Praia de Botafogo, 190, 3º andar, sala 307, Botafogo). Mais informações: https://cpdoc.fgv.br

Governo entrega Medalha Nacional do Mérito Científico a 67 cientistas
O governo federal condecorou com a Medalha Nacional do Mérito Científico (ONMC), na quarta-feira da semana passada, dia 17 de outubro, 67 cientistas por suas contribuições fundamentais para a ciência brasileira. Entre eles, 11 pesquisadores ligados a instituições fluminenses que recebem apoio da FAPERJ. O matemático Artur Avila Cordeiro de Melo, do Instituto de Matemática Pura e Aplicada  (Impa), foi condecorado como Novo grã-cruz. Foram promovidos para a Classe Grã-Cruz os seguintes membros: Ciências Biomédicas – Débora Foguel, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ); Samuel Goldenberg, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz); Vivaldo Moura Neto (UFRJ); Ciências da Engenharia – Renato Machado Cotta (UFRJ); Ciências da Terra – Alexander Wilhelm Armin Kellner (Museu Nacional/UFRJ); e Ciências Químicas – Maria Domingues Vargas, da Universidade Federal Fluminense (UFF). Na categoria Comendador, foram agraciados: em Ciências Biomédicas – Amilcar Tanuri (UFRJ), em Ciências da Engenharia – Celso da Cruz Carneiro Ribeiro (UFF) e José Roberto Boisson de Marca, da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio). Essa é a principal condecoração do governo a cientistas reconhecidos como relevantes nas áreas de ciências biológicas, físicas, ciências agrárias, ciências da terra, química, matemática, ciências sociais e humanas, ciências tecnológicas e ciências da engenharia. A ONMC foi instituída em 1993, com duas classes de membros, Grã-cruz e Comendador, e a categoria de Personalidade Nacional, destinada a premiar pessoas que, embora não sejam cientistas, tenham contribuído para o desenvolvimento da ciência e tecnologia no Brasil. Veja aqui e aqui a lista completa, publicada no Diário Oficial, dos homenageados com a Ordem do Mérito Científico de 2018.

Audiência pública debaterá os problemas e o futuro do Museu Nacional
A Comissão de Educação da Câmara dos Deputados realizará em Brasília, no próximo dia 30 de outubro, às 14 horas, no Plenário 10, audiência pública sobre “Os problemas enfrentados pelo Museu Nacional e Perspectivas para o futuro”. Requerida pelo deputado Celso Pansera, a audiência terá como debatedores o diretor do Museu Nacional/UFRJ, Alexander Kellner; o presidente da Academia Brasileira de Ciências (ABC), Luiz Davidovich; o reitor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Roberto Leher; e o professor do Programa de Pós-Graduação em Antropologia do Museu Nacional, Luiz Fernando Duarte. A audiência será interativa, o que permite ao cidadão comum dar suas contribuições ao importante tema. Para acompanhar a audiência e interagir, basta acessar: https://edemocracia.camara.leg.br/audiencias/sala/787

Seminário Patrimônio Audiovisual em Saúde enfoca o futuro dos arquivos
Para discutir as novas tendências tecnológicas, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) realiza o 4º Seminário do Patrimônio Audiovisual em Saúde, que terá início no dia 7 de novembro, às 9h30. O evento será aberto a estudantes, pesquisadores, técnicos e outros profissionais, interessados nas áreas de audiovisual, memória, comunicação, informação e saúde. Realizado em parceria pelo Centro de Estudos do Instituto de Informação e Comunicação Científica e Tecnológica em Saúde e a Casa de Oswaldo Cruz (COC/Fiocruz), o seminário apresenta, nesta quarta edição, o tema Os arquivos do futuro e o futuro dos arquivos audiovisuais públicos, e terá duas apresentações. A primeira será um panorama da preservação digital no Arquivo Nacional, sob a perspectiva do audiovisual, apresentada por Érika Maria Nunes Sampaio, do Arquivo Nacional, instituição sediada no Rio de Janeiro. Em seguida, o foco será nas tecnologias da informação e comunicação presentes na preservação digital, com Thiago Luna de Melo, que também atua no Arquivo Nacional, na área de TI da instituição. As inscrições são gratuitas, mediante cadastro no site do Icict. Também haverá transmissão online, no canal da VideoSaúde Distribuidora no Youtube. O seminário será realizado no Salão de Leitura da Biblioteca de Manguinhos, na Av. Brasil, 4.365, Pavilhão Haity Moussatché. Mais informações: https://www.icict.fiocruz.br

Novo prêmio da Sociedade Brasileira de Física recebe inscrições até 14 de dezembro
A Sociedade Brasileira de Física (SBF) lançou o Prêmio Joaquim da Costa Ribeiro para homenagear aqueles que realizaram contribuições importantes para a Física da Matéria Condensada e de Materiais no Brasil. O Prêmio leva o nome de um dos pioneiros da pesquisa na área e responsável pela descoberta, em 1945, do efeito termodielétrico, conhecido mundialmente como efeito Costa Ribeiro, e que lhe valeu, em 1953, a maior distinção concedida em Ciências no Brasil: o prêmio Einstein, da Academia Brasileira de Ciências (ABC). O físico também foi um dos criadores do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e catedrático na Faculdade Nacional de Filosofia, hoje Universidade Federal do Rio de Janeiro. As indicações das candidaturas ao prêmio podem ser feitas por qualquer sócio ou grupo de sócios da SBF e devem ser encaminhadas exclusivamente por meio eletrônico para o endereço premiojcr@sbfisica.org.br com o currículo do candidato e um texto descrevendo a contribuição do candidato para a Física da Matéria Condensada e Materiais. Mais informações: http://www.sbfisica.org.br

Seminário debate os 30 anos de criação do SUS
De 29 a 31 de outubro, a Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), realiza o seminário internacional “30 Anos de SUS”. O evento vai discutir a história do Sistema Único de Saúde e seus atuais desafios e perspectivas. As mesas de debates terão os seguintes temas: “Balanço e perspectivas da Reforma Sanitária Brasileira: é possível um SUS público e universal no contexto  do capitalismo contemporâneo e periférico?”, “Formando trabalhadores para um sistema de saúde público e universal: 30 anos de concepções e políticas de Educação Profissional em Saúde”, “Violência, condições de moradia e saneamento: o SUS  e a importância da Determinação social da saúde”, “O novo perfil do setor  privado que avança sobre o fundo público”, “Emergências sanitárias, indicadores de saúde e doenças reemergentes: as determinações sociais da saúde 30 anos depois”; “Comunicação Pública e Saúde: papel das mídias na construção e desconstrução do SUS”; e “Crise do capital, conjuntura política e políticas sociais  na América Latina”. A programação do seminário foi organizada tendo como fio condutor das temáticas a edição especial da revista Poli - saúde, educação e trabalho, comemorativa dos 30 anos do SUS. Mais informações: https://portal.fiocruz.br/noticia/seminario-internacional-30-anos-do-sus-29-31-10

Compartilhar: Compartilhar no FaceBook Tweetar Email
  FAPERJ - Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro
Av. Erasmo Braga 118 - 6º andar - Centro - Rio de Janeiro - RJ - Cep: 20.020-000 - Tel: (21) 2333-2000 - Fax: (21) 2332-6611

Página Inicial | Mapa do site | Central de Atendimento | Créditos | Dúvidas frequentes