O seu browser não suporta Javascript!
Você está em: Página Inicial > Comunicação > Arquivo de Notícias > Startup criada há dois anos, Gero360 vislumbra bons negócios com app de cuidados com idosos
Publicado em: 13/09/2018

Startup criada há dois anos, Gero360 vislumbra bons negócios com app de cuidados com idosos

Paula Guatimosim

Aplicativo facilita a troca de informações entre aqueles
que cuidam de idosos
 (Fotos: Divulgação/Gero360)

Criada há apenas dois anos, a startup Gero360 Soluções em Tecnologia Ltda., já possui CNPJ, cinco funcionários e faturamento. Uma consequência do sucesso do aplicativo de mesmo nome, desenvolvido para facilitar a troca de informações e a rotina de cuidados com idosos. Disponibilizado gratuitamente nas versões iOS e Android, o Gero360 também ganhou uma versão premium para clientes corporativos e acaba de apresentar um novo protótipo voltado para centros de convivência de idosos. E não terminam aí as boas notícias: vislumbra um mercado bem maior, que inclui os planos e administradoras de saúde e a indústria farmacêutica. A empresa foi uma das contempladas no programa Startup Rio: Apoio à Difusão de Ambiente de Inovação em Tecnologia Digital no Estado do Rio de Janeiro – uma iniciativa conjunta da FAPERJ, com a Secretaria Estadual de Ciência, Tecnologia, Inovação e Desenvolvimento Social (Sectids) e o Sebrae.

Com um potencial imenso para ampliar sua base de usuários, o aplicativo, lançado em novembro de 2017, atendeu a uma demanda comum à maioria das famílias, a gestão de cuidados com os idosos. Contabiliza mais de 940 downloads, com taxa de utilização em torno de 30%, ou seja, em torno de 300 usuários. Qualquer interessado pode baixar o app gratuitamente e criar seu “círculo de cuidado”, convidando novos usuários entre familiares, cuidadores e médicos, que passam a compartilhar tudo o que é mais importante na rotina do idoso.

À frente da gestão e administração da Gero 360, Leônidas de Moraes Sobrino Porto teve a ideia de desenvolver o aplicativo a partir de experiência própria, ao identificar os três maiores desafios para quem cuida de um idoso: gestão de medicamentos, medições vitais e eventos. Um dos oito filhos de D. Elisa, que ficou viúva aos 38 anos, Porto acompanhou com surpresa o declínio da saúde da matriarca. A pessoa ativa, que se viu sozinha na tarefa de educar todos os filhos, passou a necessitar de uma intensa rotina de cuidados. Os problemas cardíacos começaram por volta dos 60 anos e resultaram em três cirurgias. Depois dos 80, D. Elisa desenvolveu uma doença autoimune e as pernas fraquejaram, limitando sua mobilidade. Hoje, aos 86, mora com Leônidas, a nora Ana Paula e sua mãe, de 64 anos, e a neta Sofia, de 14 anos.

“Conseguimos fazer com que todos os envolvidos nos cuidados com o idoso interajam na mesma plataforma”, explica Porto. A aba “dia a dia” funciona como uma agenda diária, enquanto os “lembretes” e “alertas” – que podem ou não ser ativados – dão conta se as tarefas foram cumpridas, entre elas, a administração de remédios, e avisam a proximidade de algum evento, como uma consulta médica. Uma das principais funcionalidades, a “gestão de medicamentos”, permite acompanhar horários, dosagem e necessidade de reposição de estoque. Nas “medições vitais” são disponibilizados resultados de aferição de temperatura, pressão sanguínea, nível de dor, entre outras. Em “eventos” são compartilhados datas e horários de consulta médica, terapias complementares, dietas especiais e as opções de lazer e entretenimento dos idosos ainda aptos.

Formado em Desenho Industrial, Porto nunca atuou na área, enveredando pela Programação e Desenvolvimento de Sistemas. Aos 55 anos, sua experiência profissional foi consolidada nas áreas de Tecnologia e Gestão em instituições e empresas ligadas à Medicina e por dois MBA em Finanças, no Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais (Ibmec) e em Gestão Financeira e Planejamento Estratégico na Universidade Thunderbird, no Arizona (EUA). A sociedade de colaboradores agrega ainda Marcelo Miranda, no comando da área de TI; Ricardo Hoerde, seu filho do primeiro casamento, com 30 anos, no desenvolvimento do Design; sua esposa Ana Paula responde pelo Marketing, Comunicação e RH, com ações focadas nas redes sociais; e o mestre e doutor em Geriatria e Gerontologia Virgílio Garcia, que fornece o suporte de médico especialista.

A partir da esq., Ana Paula Neves, Marcelo Miranda e
Leônidas Porto. Atrás, Ricardo Porto e Virgílio Garcia

O desenvolvimento da versão premium, voltada para Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPI), que agrega a gestão da rotina de cuidados e a comunicação com as famílias, gerou de imediato dois contratos. Isso porque atendeu a uma demanda identificada nas visitas às instituições, ainda carentes de recursos tecnológicos que as auxiliem na gestão. Com a proposta de ser uma alternativa moderna aos asilos de idosos, as ILPIs lidam com famílias que, por motivos diversos, precisam “terceirizar os cuidados” de seus parentes idosos.

As dificuldades emocionais decorrentes de uma longa permanência dos idosos longe da família aumentam a necessidade de as instituições estreitarem ainda mais a comunicação com os familiares. Outro gargalo das ILPIs, contornada pelo app, foi a gestão dos estoques de medicamentos de cada acolhido, geralmente fornecidos pelos responsáveis e/ou parentes do idoso. Leônidas acredita que com o tempo de utilização e o feedback das equipes outras funcionalidades poderão ser compartilhadas, como a reposição de enxoval, relatórios de atividades de rotina etc. O modelo de negócio do aplicativo premium é a prestação do serviço mensal por hóspede residente nas ILPIs.

Uma importante conquista da Gero360 este ano foi sua classificação entre as três empresas mais inovadoras do segmento de longevidade no Brasil, dentre a 141 inscritas no Aging2.0 São Paulo, evento que visa fomentar o ecossistema empreendedor do mercado do envelhecimento no Brasil. Durante a premiação, em abril, os vencedores ganharam mentorias exclusivas com especialistas e uma estação de trabalho no coworking Civi-co, em São Paulo, para desenvolverem a empresa sem custos de infraestrutura. Sediada até o final deste ano na Startup Rio (http://www.startuprio.rj.gov.br), no Catete, e contando apenas com os recursos próprios e os recebidos da FAPERJ, a Gero360 passa agora a dar ênfase ao esforço comercial de conquistar novos clientes e iniciar contato com potenciais investidores.

Acompanhando a tendência mundial, o perfil da população brasileira passa por importantes mudanças nos últimos anos, segundo a última Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua-Características dos Moradores e Domicílios, do IBGE. Em cinco anos – de 2012 a 2017 – houve um crescimento de 4,8 milhões (18%), no grupo etário com mais de 60 anos no País, que passou de 25,4 milhões para 30,2 milhões. O aumento da longevidade interfere nas políticas de governo, como é o caso da proposta de reforma da Previdência, que propõe idade mínima de aposentadoria de 65 anos para homens e 62 anos para mulheres.

Fenômeno mundial, o envelhecimento da população decorre, principalmente, dos avanços conquistados pela Medicina e dos programas de bem estar voltados para idosos. Estimativas da Organização Mundial de Saúde (OMS) indicam que até 2050 os idosos com mais de 60 anos representarão um quinto da população mundial, em torno de dois bilhões de pessoas.

Compartilhar: Compartilhar no FaceBook Tweetar Email
  FAPERJ - Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro
Av. Erasmo Braga 118 - 6º andar - Centro - Rio de Janeiro - RJ - Cep: 20.020-000 - Tel: (21) 2333-2000 - Fax: (21) 2332-6611

Página Inicial | Mapa do site | Central de Atendimento | Créditos | Dúvidas frequentes