O seu browser não suporta Javascript!
Você está em: Página Inicial > Comunicação > Arquivo de Notícias > FAPERJ apóia cotistas e programas de educação profissional e superior
Publicado em: 23/09/2004

FAPERJ apóia cotistas e programas de educação profissional e superior

Foi realizada nesta quarta-feira, dia 22 de setembro, no Palácio Guanabara, em Laranjeiras, a solenidade de entrega dos termos de outorga de novos apoios aos alunos cotistas da Uerj e Uenf e aos programas de Educação Profissional e Ensino Superior do Estado, concedidos pela FAPERJ. Além do diretor-presidente da FAPERJ, Pedricto Rocha Filho, o evento contou com a presença da governadora Rosinha Garotinho, do secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação, Wanderley de Souza, da presidente da Fundação de Apoio à Escola Técnica (Faetec), Terezinha Lameira, do reitor da Uerj, Nival Nunes de Almeida, do pró-reitor de Ensino e Graduação da Uenf, Almir Cordeiro de Carvalho, do frei Clarêncio Noetti, do Convento Santo Antônio, representando a ONG Educafro, e do chefe de gabinete da Governadora, Fernando Peregrino.

Com os termos, o governo repassará, através da FAPERJ, R$ 2,3 milhões para nove escolas técnicas, dez institutos superiores da Faetec, 15 projetos de melhoria do ensino da Uerj e da Uenf e ampliará de 1.300 para 2.680 o número de bolsas de estudos concedidas a alunos cotistas das duas universidades. Representando esses setores, os diretores da Escola Técnica de Santa Cruz, da Faetec de Três Rios e da Uenf receberam simbolicamente os termos das mãos da governadora Rosinha, de Wanderley de Souza e Pedricto Rocha Filho.

De acordo com Rocha Filho, é um orgulho estar à frente da FAPERJ neste momento de consolidação destes programas. “A Fundação atua no fomento a todas as áreas da cadeia produtiva da ciência e da tecnologia, desde a formação do jovem, com programas como Jovens Talentos, apoio a cotistas, atuação junto à Faetec e Iniciação Científica até mestrado, doutorado e outros auxílios. Incluímos agora o apoio direto à educação profissional, que entendemos ser um elo muito importante do desenvolvimento tecnológico e, com isso, estamos reforçando o novo contrato social, que implica uma ação de C&T direcionada ao desenvolvimento econômico e social da sociedade”, afirma.

 

A solenidade foi aberta e entremeada por apresentações das bandas da Escola de Música Marechal Hermes, da Faetec, e do coro Madrigal, da Escola Guerra Peixe da Faetec de Quintino. O evento reuniu alunos, professores e diretores das instituições beneficiadas, que aplaudiram intensamente os discursos de frei Clarêncio, Rosinha e Wanderley de Souza. Os três defenderam as cotas como forma de democratizar o acesso ao ensino superior.

 

“Este é um momento de alegria, pois se concretiza uma conquista nobre, justa e promissora. O dinheiro ocupa seu lugar e destino certo: o de promover a dignidade humana de jovens cidadãos e cidadãs, na plenitude de seus direitos”, afirmou frei Clarêncio. Ele lembrou que a Uerj fez história ao ser a primeira universidade brasileira a adotar o sistema de cotas e, mostrou, com números, o quanto é excludente a realidade das nossas universidades: “os 20% mais ricos ocupam 60% das vagas nas universidades, e os 60% mais pobres ocupam apenas 3,4%”.

 

A governadora defendeu o sistema de cotas como a melhor forma de combate ao que ela classificou de “perpétuo círculo vicioso da exclusão social”. Rosinha citou recente relatório da ONU (Organização das Nações Unidas), que apontou o Brasil como um dos cinco países mais desiguais do mundo, tendo na educação superior apenas 16% de alunos negros e pardos (numa amostragem de 190 mil estudantes universitários).

 

“Para mudar esse quadro persistente de desigualdades acredito que precisamos ousar. Nesse contexto, as cotas rompem com a inércia conservadora de segmentos sociais que reproduzem, voluntariamente ou não, conhecidos preconceitos contra os excluídos”, disse a governadora.

 

Rosinha defendeu a permanência da política de cotas nas universidades públicas como medida complementar a investimentos no ensino público médio e fundamental.

De acordo com a governadora Rosinha, a liberação de recursos para o ensino profissionalizante - especificamente para a infra-estrutura laboratorial da Faetec, da Uerj e da Uenf - somados a outros, como o aumento das verbas mensais para ambas as universidades e sucessivos auxílios financeiros concedidos pela FAPERJ, complementam o esforço do governo em ampliar e melhorar o ensino superior de qualidade nas duas universidades estaduais.

 

Para o secretário de C, T & I, Wanderley de Souza, este foi um dia especial de afirmação do ensino público. “A FAPERJ agora se volta para apoiar iniciativas de escolas técnicas e graduação. Os projetos liberados não são para pesquisa científica, mas representam melhorias de infra-estrutura da Faetec, institutos superiores e técnicos de educação e laboratórios de graduação da Uenf, dentro de um grande programa de apoio às entidades estaduais. A aplicação dos recursos da FAPERJ representará um salto de qualidade para instituições do estado”, afirmou.

 

Compartilhar: Compartilhar no FaceBook Tweetar Email
  FAPERJ - Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro
Av. Erasmo Braga 118 - 6º andar - Centro - Rio de Janeiro - RJ - Cep: 20.020-000 - Tel: (21) 2333-2000 - Fax: (21) 2332-6611

Página Inicial | Mapa do site | Central de Atendimento | Créditos | Dúvidas frequentes