O seu browser não suporta Javascript!
Você está em: Página Inicial > Comunicação > Arquivo de Notícias > FAPERJ e Secti assinam convênio para Pesquisa na Área de Saúde
Publicado em: 09/09/2004

FAPERJ e Secti assinam convênio para Pesquisa na Área de Saúde

Com um novo convênio que deverá beneficiar uma ampla parcela da população fluminense, o Estado do Rio de Janeiro, por meio das Secretarias de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti/RJ), da Saúde, e da FAPERJ, acertou, junto aos Ministérios da Saúde, da Ciência e Tecnologia e ao CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico), a implementação do Programa Pesquisa na Área da Saúde. A cerimônia de lançamento do programa ocorreu nesta quinta-feira, 9 de setembro, na sede do Ministério da Saúde, na capital federal. A celebração deste convênio dará novo fôlego às pesquisas no setor de avaliação e incorporação tecnológica em áreas estratégicas da saúde.

Entre os setores que deverão ser beneficiados estão o de fármacos, imunobiologia e telemedicina. O programa permitirá, ainda, a análise das condições de saúde da população do Estado do Rio de Janeiro, com a situação atual e desenho prospectivo das tendências de mudanças no quadro sanitário. O convênio, com duração inicial de 36 meses, irá  disponibilizar recursos da ordem de R$ 3 milhões, cabendo metade deles ao CNPq e o restante à FAPERJ. 

Para o diretor-presidente da FAPERJ, Pedricto Rocha Filho, o convênio trará novo alento para o setor de saúde do Estado do Rio e é importante para ampliar o intercâmbio entre as áreas de saúde e pesquisa. Rocha Filho ressalta, ainda, a presença da FAPERJ na área da saúde por meio das atividades conduzidas por três dos seus Institutos Virtuais (Dengue, Doenças Neurodegenerativas e Fármacos), além do programa Pesquisa da Área Médica.


O convênio, também chamado de Programa de Fomento à Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico em Saúde, permitirá uma avaliação e monitoramento dos sistemas municipais de saúde do estado. Duas redes de pesquisa deverão ser constituídas no âmbito do programa: uma delas voltada para  violência, trauma, urgência e emergência; e outra abordará métodos moleculares para o diagnóstico de doenças crônicas, degenerativas, infecciosas e parasitárias. A pesquisa de dengue e leishmaniose também é mencionada como área prioritária. Nos próximos meses, a FAPERJ deverá lançar edital para seleção e aprovação de projetos que contemplem as referidas áreas.

À cerimônia de lançamento do programa compareceram, além de Rocha Filho, os ministros da saúde, Humberto Costa; da Ciência e Tecnologia, Eduardo Campos; o presidente da Finep, Sergio Resende; e o presidente do CNPq, Erney Plessmann de Camargo.
Compartilhar: Compartilhar no FaceBook Tweetar Email
  FAPERJ - Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro
Av. Erasmo Braga 118 - 6º andar - Centro - Rio de Janeiro - RJ - Cep: 20.020-000 - Tel: (21) 2333-2000 - Fax: (21) 2332-6611

Página Inicial | Mapa do site | Central de Atendimento | Créditos | Dúvidas frequentes