O seu browser não suporta Javascript!
Você está em: Página Inicial > Comunicação > Arquivo de Notícias > Resultado de três editais fomenta investimentos no campo da saúde
Publicado em: 15/12/2016

Resultado de três editais fomenta investimentos no campo da saúde

Por Ascom Faperj

A diretoria da FAPERJ divulga, nesta quinta-feira, 15 de dezembro, o resultado de três de seus editais na área da saúde: Apoio à pesquisa clínica em hospitais de ensino e pesquisa sediados no estado do Rio de Janeiro, Apoio à recuperação e modernização da infraestrutura de hospitais universitários sediados no estado do Rio de Janeiro e Pesquisa em doenças do envelhecimento no estado do Rio de Janeiro. No total, serão apoiados 85 novos projetos.

Destinados à melhoria e modernização da infraestrutura de hospitais universitários – da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), da Universidade Federal Fluminense (UFF), da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UniRio) –, ao apoio para pesquisas clínicas em hospitais e ao estudo das doenças do envelhecimento da população fluminense, esses três editais induzem à concentração de esforços dos melhores grupos de pesquisa e centros de tratamento tanto no atendimento das principais demandas emergenciais quanto no provimento de diagnósticos e processos terapêuticos mais eficazes para as principais patologias que afetam a saúde da população do Rio de Janeiro. No total, serão aplicados recursos de R$ 35.124.181,26 para financiar os projetos contemplados nos três editais.

Apoio à pesquisa clínica em hospitais de ensino e pesquisa sediados no estado do RJ

Na edição 2016 do programa de Apoio à pesquisa clínica em hospitais de ensino e pesquisa sediados no estado do Rio de Janeiro – que vem sendo lançado a cada dois anos desde 2008 – foram contemplados 23 novos projetos, que terão investimentos de R$ 6.232.815,81 para financiar obras de infraestrutura, aquisição e manutenção de equipamentos que permitirão o desenvolvimento de pesquisas clínicas em seres humanos, com objetivo de promover diagnóstico, prognóstico e tratamento de enfermidades. 

A Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) e a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) foram as instituições que tiveram maior número de projetos contemplados, cada uma delas com nove. Também tiveram projetos aprovados o Instituto de Pesquisa Biomédicas do Hospital Naval Marcílio Dias (HNMD); o Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into); a Universidade Federal Fluminense (UFF); a Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UniRio) e a Universidade Severino Sombra (USS).

O programa avaliou propostas encaminhadas por pesquisadores do corpo clínico de hospitais sediados no estado do Rio de Janeiro, com vínculo empregatício ou funcional em uma mesma instituição de ensino e pesquisa, com grau de doutor ou equivalente, ativa e produtivamente envolvidos em pesquisa relevante para o projeto. Cada proposta teve que contar com a anuência de sua instituição de origem e carta-compromisso do diretor geral do hospital universitário ao qual estivesse vinculada, atestando que o projeto seria ali desenvolvido.

As propostas encaminhadas estavam enquadradas em uma de duas faixas, de acordo com o montante solicitado: Faixa A – entre R$ 250.001 e R$ 500 mil – com um mínimo de cinco pesquisadores doutores; Faixa B – valor inferior ou igual a R$ 250 mil – com um mínimo de três pesquisadores doutores. Cada uma das equipes pôde incluir ainda pós-graduandos, estagiários e funcionários técnico-administrativos do quadro das instituições partícipes. Foi também designado um comitê gestor, com um mínimo de três pesquisadores, para os equipamentos a serem adquiridos.

Na avaliação de cada proposta foram considerados não apenas o mérito técnico-científico, mas também o caráter multidisciplinar, o escopo multiusuário para o uso dos equipamentos e o impacto para o fortalecimento ou criação de programas de pós-graduação stricto senso na instituição a que a equipe de pesquisadores está associada. Também foi analisada a importância da proposta para o desenvolvimento científico, tecnológico, econômico, ambiental e social do estado do Rio de Janeiro.

O programa financiará despesas de capital, como a aquisição de material permanente e equipamentos, e despesas de custeio, caso em que se enquadram serviços de terceiros (pessoas físicas e jurídicas) com caráter eventual para manutenção corretiva e preventiva de equipamentos e para a realização de reparos e adaptações de bens imóveis (até o máximo de 30% do montante solicitado em despesas de custeio); material de consumo, componentes e/ou peças de reposição de equipamentos; despesas acessórias de importação (até 18% do bem importado).

Apoio à pesquisa em doenças do envelhecimento

Visando atender a demanda da população mais idosa, o edital Pesquisa em Doenças do Envelhecimento no Estado do RJ — 2016  apoiará 60 novas propostas. Desse total, 26 projetos tiveram origem na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ); Universidade Federal Fluminense (UFF) e Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) tiveram, cada, oito projetos contemplados; enquanto a Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro e o Instituto Nacional do Câncer (Inca) tiveram, cada uma, quatro propostas aprovadas. A Fundação Oswaldo Cruz teve beneficiados três projetos e a Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) aprovou duas propostas. Também tiveram projetos contemplados o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro); o Instituto de Pesquisas D'Or (Idor); a Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf); a Universidade do Grande Rio (Unigranrio) e a Centro Universitário Augusto Mota (Unisuam).

Todas elas se voltam para o estudo de diversos aspectos das doenças do envelhecimento, como: (a) fisiopatologia das doenças relacionadas com a idade; (b) patologia das doenças degenerativas usando abordagens celulares e moleculares; (c) patologia de doenças tumorais do idoso, usando abordagens moleculares e celulares; (d) fatores extrínsecos e intrínsecos que influenciam o início das doenças do envelhecimento, a patologia e a progressão; (e) aspectos clínicos das doenças; (f) diagnóstico das doenças; (g) epidemiologia das doenças; (h) tratamentos inovadores para doenças do envelhecimento, tais como terapias celulares e terapias gênicas; (i) efeitos de drogas, vitaminas, hormônios, alimentos funcionais e antioxidantes para o tratamento de doenças; (j) eficácia de exercícios cognitivos e físicos sobre a longevidade e o envelhecimento. Para isso, o edital destina recursos da ordem de R$ 21.337.472,50, a serem pagos em duas ou mais parcelas.

Serão formados consórcios congregando grupos de pesquisa com reconhecida competência nos temas já listados, com a finalidade de contribuir para o desenvolvimento de projetos com aplicabilidade clínica e a adoção de ações públicas no campo da prevenção, diagnóstico e tratamento de doenças do envelhecimento, possibilitando para a melhoria da qualidade de vida da população fluminense.

As propostas foram classificadas em uma de duas faixas, de acordo com o montante solicitado e o número de componentes da equipe: Faixa A — entre R$ 300.001 e R$ 600 mil — para equipes com mínimo de seis pesquisadores; e Faixa B — até R$ 300 mil — para equipes com mínimo de três pesquisadores. Os recursos desse edital deverão ser empregados no estabelecimento e melhoria de infraestrutura e despesas de custeio, previstas nos projetos contemplados.

Apoio à recuperação e modernização da infraestrutura de hospitais universitários

O edital contemplou dois novos projetos: um da Universidade Federal Fluminense e outro da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj). Com um total de recursos de R$  7.553.892,95, poderão ser financiados a aquisição e manutenção de equipamentos necessários ao desenvolvimento de pesquisa clínica em humanos, apresentados por pesquisadores pertencentes ao corpo clínico de hospitais universitários sediados no estado do Rio de Janeiro.

Puderam ser proponentes equipes formadas por um mínimo de 10 pesquisadores, vinculados ao corpo clínico dos hospitais. Entre eles foi nomeado um coordenador, enquanto os demais participantes foram considerados como pesquisadores associados. Todos deveriam ter o grau de doutor ou equivalente, ser ativa e produtivamente envolvidos em pesquisa relevante para a proposta.

Os projetos terão um máximo de dois anos para sua execução. São financiáveis despesas de capital, como a aquisição de materiais permanentes e equipamentos, e obras de infraestrutura e instalações (obras de grande porte patrimoniáveis), assim como despesas de custeio, tais como serviços de terceiros (pessoas físicas e jurídicas) com caráter eventual, incluindo a manutenção de equipamentos e de material permanente, e a realização de pequenos reparos e adaptações de bens imóveis; material de consumo, componentes e/ou peças de reposição de equipamentos; e despesas de importação (até o limite máximo de 18% do valor do bem importado).

Confira o resultado do edital Apoio à pesquisa clínica em hospitais de ensino e pesquisa sediados no estado do Rio de Janeiro

Confira o resultado do edital Pesquisa em doenças do envelhecimento no estado do Rio de Janeiro

Confira o resultado do edital Apoio à recuperação e modernização da infraestrutura de hospitais universitários sediados no estado do Rio de Janeiro

Compartilhar: Compartilhar no FaceBook Tweetar Email Compartilhar no WhatsApp
  FAPERJ - Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro
Av. Erasmo Braga 118 - 6º andar - Centro - Rio de Janeiro - RJ - Cep: 20.020-000 - Tel: (21) 2333-2000 - Fax: (21) 2332-6611

Página Inicial | Mapa do site | Central de Atendimento | Créditos | Dúvidas frequentes