O seu browser não suporta Javascript!
Você está em: Página Inicial > Hidrogênio: o combustível do século XXI entrará em cena nos próximos dez anos
Publicado em: 15/08/2002

Hidrogênio: o combustível do século XXI entrará em cena nos próximos dez anos

Hidrogênio: o combustível do século XXI  entrará em cena nos próximos dez anos

 

O Brasil se encontra na vanguarda no que se refere às pesquisas que vão contribuir para o uso do hidrogênio como combustível e na geração de energia. “Em alguns anos, já teremos geradores de energia nas indústrias e nas próprias residências e carros movidos a hidrogênio circulando pelas ruas”, antecipa o professor Paulo Emílio de Miranda, que coordena o Laboratório de Hidrogênio da Coppe. Esse laboratório é um dos condutores do trabalho que vem sendo desenvolvido no Brasil, cujo objetivo é viabilizar o uso do hidrogênio como combustível e como fonte de energia. Para isso, pesquisadores da Coppe vêm buscando formas de tornar seguro seu armazenamento.

           

Nesse mesmo laboratório, cientistas estão desenvolvendo pilhas a combustível de óxido sólido, que são geradores de energia elétrica baseados no uso do hidrogênio. Foi na Coppe, aliás, que surgiu a primeira pilha a combustível do país, no início da década de 1980.

 

“Estamos falando de uma fonte de energia renovável, inesgotável e não poluente que trará benefícios para toda a sociedade”,afirma o pesquisador ressaltando que os órgãos de fomento à pesquisa e os fundos setoriais terão papel decisivo no desenvolvimento dos projetos relacionados ao hidrogênio no país. Paulo Emílio aposta na adesão da iniciativa privada nesse movimento:

“A tendência é que surjam muitas empresas especializadas na comercialização de produtos e processos de aproveitamento do hidrogênio. As próprias empresas de geração de energia terão de se readaptar para não perder espaço.” Segundo o pesquisador, muitas dessas empresas já estão fazendo as adaptações necessárias para que, no futuro, possam ser fornecedoras do sistema baseado no hidrogênio: “A Petrobras, por exemplo, já não mais se apresenta apenas como uma empresa de pe-tróleo, mas de energia em geral”, acentua.

           

O especialista acrescenta que o fortalecimento dessa “in-dústria” é condição indispensável para a viabilização dos projetos de geração de energia e da utilização do hidrogênio como combustível, pois somente assim será possível reduzir os custos de implantação dos projetos que vêm sendo desen-volvidos.

 

“Não há dúvida de que o hidrogênio será uma das principais fontes de energia do futuro”, afirma o professor da Coppe, que se diverte ao lembrar que essa é uma idéia antiga e faz parte das antológicas previsões de Júlio Verne, referindo-se ao livro A ilha misteriosa, publicado em 1874, no qual o escritor projeta um mundo onde a água e o hidrogênio seriam o “carvão do futuro”.

 

 

Vantagens do hidrogênio

 

 

1 -  Veículos movidos a hidrogênio não terão motor à combustão. Os motores serão elétricos, o que evitará a poluição do meio ambiente.

 

2 -  O processo de geração de energia é descentralizado. Não será necessário construir hidrelétricas gigantescas, como Itaipu. O hidrogênio pode ser produzido a partir de várias fontes: água, combustíveis fósseis e biomassa. Essa produção pode ainda ser feita com o aproveitamento da energia solar ou eólica.

 

3 -  Fonte renovável, inesgotável e não poluente. A produção de energia pode ser realizada em qualquer lugar.

 

4 - A geração de energia por meio de pilhas a combustível é pelo menos duas vezes mais eficaz do que a obtida pelos processos tradicionais.

 

 

Pesquisas do Laboratório de Hidrogênio da Coppe/UFRJ

 

 

A - Produção de materiais metálicos sólidos para armazenar grande quantidade do elemento químico hidrogênio. Basta aquecer o material que os átomos de hidrogênio se difundem até a superfície do material armazenador, onde se recombinam e formam o gás.

 

B - Desenvolvimento de pilha a combustível de óxido sólido: processo químico onde não há combustão. Usa gás natural como combustível.

 

C - Produção de hidrogênio e materiais carbonosos (ricos em carbono): processo de beneficiamento de combustível fóssil não poluente que não emite gases responsáveis pelo efeito estufa. Permite a produção de hidrogênio para geração de energia e “seqüestra” o carbono do gás natural.

 

Cronograma para o uso do hidrogênio como fonte de energia e combustível:
2002 a 2020
Prazo Cenário previsto
5 anos Indústria automobilística lança em escala pré-comercial protótipos de veículos movidos a hidrogênio; cresce o número de aparelhoseletrônicos que utilizam a energia gerada a partir de hidrogênio.
10 anos Geradores de energia à base de hidrogênio são instalados em unidades residenciais e empresas; começa a produção comercial de veículos que utilizam esse tipo de combustível.
20 anos A utilização do hidrogênio é disseminada por toda a sociedade, tanto como combustível quanto na geração de energia. O uso massificado do elemento reduz os custos de implantação dos sistemas.

Fonte: professor Paulo Emílio Miranda - Laboratório de Hidrogênio da Coppe/UFRJ

Apoio FAPERJ

Modalidade: Programas Es-peciais - Bolsa Cientistas do Nosso Estado

Valor: R$ 36 mil

Ano:   2001/ 2002

Compartilhar: Compartilhar no FaceBook Tweetar Email Compartilhar no WhatsApp
  FAPERJ - Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro
Av. Erasmo Braga 118 - 6º andar - Centro - Rio de Janeiro - RJ - Cep: 20.020-000 - Tel: (21) 2333-2000 - Fax: (21) 2332-6611

Página Inicial | Mapa do site | Central de Atendimento | Créditos | Dúvidas frequentes