O seu browser não suporta Javascript!
Você está em: Página Inicial > Comunicação > Arquivo de Notícias > Augusto Raupp assume a presidência da FAPERJ
Publicado em: 22/01/2015

Augusto Raupp assume a presidência da FAPERJ

Por Ascom Faperj

Augusto da Cunha Raupp, empossado na presidência da FAPERJ: atuação
e colaboração em 
diversas instituições de C&T do País (Foto: Lécio Ramos)

Economista com ampla experiência na área de Tecnologia da Informação (TI), Augusto da Cunha Raupp assumiu, nesta quinta-feira, dia 22 de janeiro, o cargo de presidente da FAPERJ. A nomeação, pelo governador Luiz Fernando Pezão, foi publicada no Diário Oficial do estado nesta data. Servidor federal do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) cedido para o estado do Rio de Janeiro, ele vinha ocupando, desde o início de 2013, o cargo de subsecretário de Educação Profissional e Ensino Superior da Secretaria Estadual de Ciência e Tecnologia (Sect). Nascido em Porto Alegre, Raupp, de 54 anos, filho do ex-ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação Marco Antônio Raupp, deixou cedo a capital gaúcha para viver no Rio, onde iniciou sua formação acadêmica e construiu sua carreira profissional. Ele é o décimo sexto a ocupar o cargo de presidente da Fundação, criada em 16 de junho de 1980. O economista assume a presidência em substituição ao médico cirurgião e professor da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), Ruy Garcia Marques, que ocupou a função desde janeiro de 2007.

“A FAPERJ é uma ‘fábrica de inovação’”, declarou Raupp, pouco depois de chegar à Fundação no final da manhã desta quinta-feira. “Vamos trabalhar para continuar crescendo, em cima da base construída ao longo dos últimos anos.” Ele lembrou a importante decisão, tomada pelo governo do estado, em 2007, de repassar 2% da receita tributária líquida para a Fundação, o que permitiu alavancar projetos importantes e um crescimento sem precedentes na trajetória do órgão. “Aqui na Fundação, temos o lado da demanda, representado pela Diretoria de Tecnologia, que procura identificar e atender às solicitações do mercado, e o lado da oferta, sob a responsabilidade da Diretoria Científica, encarregada de fomentar projetos em ciência básica e aplicada, que, de uma forma ou de outra, também podem se tornar inovação.”

Para o economista, que em 1997 obteve o título de mestre em Administração pela St. Ambrose University, em Davenport, Iowa, nos Estados Unidos, a FAPERJ deve estar alinhada com as políticas de C&T, não só na esfera federal, mas também na estadual. “Precisamos acompanhar com atenção as decisões e o trabalho dos diferentes órgãos de governo, a fim de somar forças na tarefa de prestar apoio e estimular a pesquisa em C,T&I. Além de manter um diálogo regular com a Sect, também há outras secretarias cuja atuação deve ser seguida de perto, como no caso da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços [Sedeis]”, disse.

Durante sua permanência na Sect, Raupp esteve à frente de diversas iniciativas, destinadas, principalmente, a fomentar o empreendedorismo inovador no estado em segmentos para os quais o Rio demonstra vocação. Ali, atuou como coordenador em programas como o Start-Up Rio, em parceria com a FAPERJ, e o Grupo Executivo do Complexo Industrial das Ciências da Vida do Estado do Rio de Janeiro (Geciv), com o objetivo de criar um cluster de biotecnologia voltado para a saúde humana. Conduziu, ainda, a organização de propostas no Sistema Fluminense de Parques Tecnológicos (Flutec), lançado pelo secretário de Ciência e Tecnologia, Gustavo Tutuca, em meados de 2014.

Atuando em permanente colaboração com instituições como a Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec) e a International Association of Science Parks and Areas of Innovation (Iasp), Raupp, desde o início de sua vida profissional, sempre esteve ligado à área de C&T, primeiramente, no Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC), onde trabalhou na área de TI, em suporte de redes, e, posteriormente, no Instituto Nacional de Tecnologia (INT), órgão do MCTI sediado no Rio.

No serviço público, integrou, como pesquisador e gestor, o grupo responsável pela criação, em 1992, da Rede Rio de Computadores, pioneira ao interconectar exclusivamente instituições acadêmicas, centros de ensino e pesquisa e órgãos públicos fluminenses. Ocupou o cargo de presidente do Conselho Gestor do Movimento Petrópolis-Tecnópolis e foi diretor e professor de Planejamento Estratégico e Empreendedorismo do antigo Instituto Superior de Tecnologia em Ciências da Computação, hoje Faculdade de Educação Tecnológica do Estado do Rio de Janeiro (Faeterj-Petrópolis). Na iniciativa privada, tomou parte no projeto para o lançamento do portal Globo.com, como gerente de inovação tecnológica, e na Embratel, na unidade de negócios Internet.

No dia 10 de outubro de 2014, Raupp tomou posse como membro do Conselho Superior da FAPERJ, em vaga reservada ao governo estadual no colegiado. Agora, empossado na presidência, deixará o conselho para participar das reuniões como membro nato, de acordo com o estatuto da Fundação.

Compartilhar: Compartilhar no FaceBook Tweetar Email
  FAPERJ - Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro
Av. Erasmo Braga 118 - 6º andar - Centro - Rio de Janeiro - RJ - Cep: 20.020-000 - Tel: (21) 2333-2000 - Fax: (21) 2332-6611

Página Inicial | Mapa do site | Central de Atendimento | Créditos | Dúvidas frequentes