O seu browser não suporta Javascript!
Você está em: Página Inicial > Comunicação > Arquivo de Notícias > O bom filho à casa torna
Publicado em: 04/12/2014

O bom filho à casa torna

Vinicius Zepeda

   Vera Medeiros e Jorge Belizário comemoram a nova
    participação da bióloga Kessia Lima (ao centro) no
        programa Jovens Talentos (Foto: Divulgação)

O ano era 2002, e Kessia Lima, moradora de Campos, município do norte fluminense, cursava o 2 ano do Ensino Médio de uma escola pública local. No colégio, ela se interessava por biologia e, assim como a maioria dos seus colegas, não sabia exatamente o que faria no futuro. Foi então que conheceu o Jovens Talentos (JTs) – programa desenvolvido pela FAPERJ e pela Fundação Centro de Ciências e Educação Superior a Distância do Estado do Rio de Janeiro (Fundação Cecierj) de bolsas de pré-iniciação científica em instituições de ensino superior. Como bolsista na Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf), estagiando num projeto de sequenciamento do DNA da bactéria Gluconacetobacter diazotrophicus, fixadora de nitrogênio em culturas agrícolas, como a cana-de-açúcar, a experiência a levou a ter certeza da direção profissional a seguir. Dois anos depois, ela ingressou na Uenf, desta vez como estudante de Biologia. Hoje, passados onze anos, bióloga com mestrado e doutorado, ela lembra seus tempos no programa e, assim como diz o ditado que “o bom filho à casa torna”, ela volta aos Jovens Talentos, agora como orientadora. "O fato é inédito na história do nosso programa. Estamos nos retroalimentando", afirma o coordenador dos Jovens Talentos, Jorge Belizário, que divide a coordenação do programa com a professora Vera Medeiros.

A história de Kessia, em depoimento da própria bióloga será apresentada durante a XVI Jornada Científica Jovens Talentos, que acontece nos dias, 8, 9 e 10 de dezembro, no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro (IFRJ), campus Arraial do Cabo, onde ela trabalha como professora. Em 2015, ela orientará quatro alunos no instituto. "Eles me ajudarão nos projetos que coordeno na área de reciclagem e saneamento ambiental. Já fizemos, inclusive, apresentações em feiras de ciências. Tanto trabalhamos com a construção de barcos feitos de garrafa pet e resíduos da construção civil quanto, numa outra vertente, cultivamos mudas de espécies nativas para serem plantadas na cidade de Saquarema", explica.

  Em 2003, Kessia Lima (segunda a partir da esq.), à época  
  estudante do Ensino Médio, participou da Jornada Jovens
   Talentos como bolsista do programa (Foto: Divulgação) 

O coordenador Jorge Belizário chama a atenção para os trabalhos que serão apresentados na jornada. "Entre os vários trabalhos sobre diversos temas, vale destacarmos um que investiga a influência dos Jovens Talentos na vida acadêmica dos bolsistas que participaram do programa entre 2008 e 2012", afirma Belizário. "É curioso observarmos o predomínio das mulheres no nosso programa, os dados apontam dois terços delas como bolsistas nesse período. E a escolha da trajetória universitária, principalmente na área das Ciências Biológicas também é forte: 65% deles cursam universidade atualmente, sendo que 37% escolheram a área das Ciências da Vida", complementa. Como exemplo de outro trabalho, há o que analisa a pirataria no imaginário dos moradores de Ilha Grande, no município de Angra dos Reis, pela análise de antigos documentos históricos, das primeiras décadas do século XVIII. "Percebemos que a pirataria é muito mais ampla no imaginário do que o que realmente aconteceu no passado", destaca.

   Ao todo, 174 estudantes estarão reunidos durante
       os três dias do evento (Foto: Divulgação)
A Jornada Jovens Talentos, que reunirá ao todo 174 estudantes de escolas públicas do estado, terá a apresentação de 108 pôsteres de diferentes trabalhos.  Outra novidade deste ano será o concurso, em que um júri selecionará 20 trabalhos, que serão reapresentados no segundo dia, para que sejam escolhidos os três melhores, que ganharão prêmios. "Todos os 20 trabalhos selecionados ganharão um diploma de menção honrosa, além de livros editados pelo programa de Auxílio à Editoração (APQ 3), da FAPERJ, voltado para estimular o gosto pelas ciências. Já os três melhores trabalhos receberão, respectivamente, um tablet, um HD externo e uma mochila incrementada", conclui.

Compartilhar: Compartilhar no FaceBook Tweetar Email
  FAPERJ - Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro
Av. Erasmo Braga 118 - 6º andar - Centro - Rio de Janeiro - RJ - Cep: 20.020-000 - Tel: (21) 2333-2000 - Fax: (21) 2332-6611

Página Inicial | Mapa do site | Central de Atendimento | Créditos | Dúvidas frequentes