O seu browser não suporta Javascript!
Você está em: Página Inicial > Comunicação > Arquivo de Notícias > Faetec inaugura laboratório de piscicultura e moluscos em São Gonçalo
Publicado em: 02/10/2014

Faetec inaugura laboratório de piscicultura e moluscos em São Gonçalo

Débora Motta*

                                                                              Divulgação/Faetec

       
       O diretor de Tecnologia da FAPERJ, Rex Nazaré, e a presidente da
        Faetec, Maria Cristina Lacerda, ao centro, foram homenageados 

Homens ao mar e redes a postos para o arrastão. O tradicional ofício de pescador é um dos mais antigos da humanidade. No estado do Rio de Janeiro, que tem o terceiro litoral mais extenso do País (635 km), a pesca tem um potencial importante para o desenvolvimento econômico. Para estimular essa vocação regional em São Gonçalo, na região metropolitana do Rio, a Fundação de Apoio à Escola Técnica (Faetec) inaugurou, na manhã de sexta-feira, dia 26 de setembro, o Laboratório de Piscicultura e Depuração de Moluscos. O espaço foi instalado em um dos Centros Vocacionais Tecnológicos (CVTs) do município, o CVT São Gonçalo, no bairro
do Gradim,
que oferece cursos voltados à área da Pesca, Aquicultura e Meio Ambiente.

O laboratório foi construído com recursos da FAPERJ, que apoiou a montagem da infraestrutura necessária com o edital "Apoio à instituição estadual de ciência e tecnologia – Faetec – 2013". Além dos alunos, o espaço atenderá pesquisadores e profissionais ligados ao campo da pesca e comunidades de pescadores que vivem nas áreas costeiras. O espaço possui o que há de mais moderno na aquicultura brasileira: uma estação de recirculação com skimmer, tubo de ultravioleta e filtro biológico, agregada a três incubadoras para os estágios de ovos e larvas, com conexão a um tanque de 300 litros para desenvolvimento até alevino, outro tanque para desenvolvimento até juvenil e um terceiro tanque para as matrizes dos peixes. Possui ainda microscópio acoplado a computador, possibilitando a visualização de imagens dos diversos estágios do desenvolvimento larval de moluscos exibidos em um telão, balança de precisão e até um gerador para caso de queda de energia, além de uma estação de depuração para moluscos. Trata-se de uma das quatro estações instaladas no Brasil.

Durante a solenidade, houve entrega de placas em homenagem aos principais responsáveis por contribuir no progresso da unidade, sobretudo à integração do que favorecerá o mercado pesqueiro. O diretor de Tecnologia da FAPERJ, Rex Nazaré Alves, foi homenageado com a placa, como "Amigo do CVT da Pesca, Aquicultura e Meio Ambiente". Rex Nazaré destacou em seu discurso a importância do ensino técnico. "Como ex-aluno da Escola Técnica Visconde de Mauá, em Marechal Hermes, tenho entre minhas atividades na FAPERJ uma enorme satisfação em colaborar para a modalidade do ensino profissionalizante. Ela reduz as diferenças sociais e, nesse caso de São Gonçalo, vai permitir desde a construção de embarcações, passando pela fabricação das redes, indo à pesca e ensinando as técnicas da gastronomia envolvida. Pude provar deliciosos exemplares da sua produção", disse.

Divulgação/Faetec
 
 Instalações do Laboratório de Piscicultura e Depuração        
de Moluscos: impulso para a pesca no CVT São Gonçalo   
 

A presidente da rede Faetec, professora Maria Cristina Lacerda, afirmou a importância de dar oportunidade aos lugares que carecem de escolas especializadas na qualificação profissional, contribuindo para a melhor qualidade de vida da população. "Eu acredito numa educação igualitária, abrangente, e que deve chegar a todos os lugares, sem distinções. É por isso que nós temos desempenhado esse trabalho de levar nossas escolas nos lugares de pouco acesso, afastados dos grandes centros urbanos", disse a presidente, que também recebeu uma homenagem com o símbolo da unidade educacional, um barco pintado e com o seu nome.

O coordenador da unidade, Sérgio Mattos Fonseca, destacou a relevância da construção do laboratório no local. "O laboratório, sem dúvida, ofertará melhores oportunidades à comunidade e aos pescadores, contribuindo no desempenho de suas atividades e oferecendo conhecimentos básicos e indispensáveis", disse o doutor em ciências, na modalidade Micrometeorologia de Ecossistemas, que fez sua graduação em Economia.

O projeto cria condições para o desenvolvimento do curso profissionalizante de Aquicultor – Introdução a Aquicultura Familiar, inicialmente na Unidade de São Gonçalo (RJ), e que posteriormente será expandido para outras unidades da rede da Faetec, nos moldes do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec). A implantação do laboratório demonstrativo do curso também vai contribuir para a realização de projetos de extensão voltados para desenvolver cultivos aquáticos no estado do Rio de Janeiro. "Nossa intenção é ser um polo de desenvolvimento da aquicultura, inicialmente no CVT de São Gonçalo", disse o professor Sérgio.

Entre os serviços que serão oferecidos à comunidade pesqueira local, estão a popularização do cultivo de tilápias, a ser realizado nas residências dos próprios pescadores; e a depuração [limpeza] dos moluscos produzidos pelos pescadores, em equipamento próprio disponibilizado no laboratório recém-instalado. "Vamos fornecer filhotes de tilápias, conhecidas como ‘juvenis’, para serem engordadas pelos pescadores nos seus próprios quintais, utilizando técnicas simples, até mesmo a água encanada, com qualidade monitorada. Em apenas três meses, eles poderão comercializar os peixes. A tilápia foi escolhida porque é um peixe resistente, com uma boa relação custo-benefício", explicou.

                                                             Divulgação/Faetec
       
     Sérgio Mattos Fonseca e Maria Cristina Lacerda: proposta
     de expandir o projeto para outras unidades da rede Faetec 
 

No caso dos moluscos, estão sendo firmadas parcerias com pescadores locais, intermediados pela Associação de Maricultores de Jurujuba. "O presidente da associação, Misael Lima, forneceu mexilhões para passarem pelo processo de depuração no laboratório, isto é, de limpeza dos coliformes e impurezas absorvidas pelo molusco, para que estejam seguros para o consumo humano. As impurezas são eliminadas por completo, por meio de um tubo de luz ultravioleta", disse o professor Sérgio, coordenador do projeto.

O CVT localizado no bairro do Gradim, em São Gonçalo, é uma parceria entre a Fundação Instituto de Pesca do Rio de Janeiro (Fiperj) e a Faetec. São oferecidos cursos para formação inicial e continuada, bem como cursos de qualificação profissional. São eles: Operador em Computador – Ambiente Windows; Operador de Computador – Ambiente Linux; Excel Avançado, Mecânico de Manutenção de Motores Navais, Assistente Administrativo, Recepcionista, Pintura Naval, Carpintaria Naval, Aquicultor – Introdução à Aquicultura Familiar, Cozinheiro Industrial, Auxiliar de Cozinha, Confeiteiro, Salgadeiro, Padeiro, Auxiliar de Pessoal e Operador em Beneficiamento de Pescado.

O projeto amplia a oferta de cursos na unidade e aproveita sua vocação para a formação inicial ou continuada de recursos humanos voltados para a exploração sustentável dos recursos naturais marinhos e o potencial hídrico continental. "Destaco a importância de a FAPERJ ter lançado, pela primeira vez, um edital especificamente voltado para o apoio aos projetos da Faetec. O edital promoveu uma concorrência interna de qualidade. Ao todo, foram 18 projetos institucionais aprovados", concluiu o professor Sérgio.

*Com informações da assessoria de comunicação da Faetec

Compartilhar: Compartilhar no FaceBook Tweetar Email
  FAPERJ - Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro
Av. Erasmo Braga 118 - 6º andar - Centro - Rio de Janeiro - RJ - Cep: 20.020-000 - Tel: (21) 2333-2000 - Fax: (21) 2332-6611

Página Inicial | Mapa do site | Central de Atendimento | Créditos | Dúvidas frequentes