O seu browser não suporta Javascript!
Você está em: Página Inicial > Comunicação > Arquivo de Notícias > FAPERJ se reúne com principais instituições francesas de fomento à C&T
Publicado em: 05/06/2014

FAPERJ se reúne com principais instituições francesas de fomento à C&T

 Divulgação

   

 Ruy Marques e Jean Chambaz, presidente da
Université Pierre Marie Curie, fecham novo acordo

O presidente da FAPERJ, Ruy Marques, e os diretores científico,Jerson Lima, e de tecnologia, Rex Nazaré, participaram de recente missão à França, com o objetivo de estabelecer parcerias com muitas instituições francesas de fomento à ciência e tecnologia (C&T).

As instituições visitadas foram Prés Sorbonne Universités, Institut Pasteur, Agence Nationale de la Recherche (ANR), Institut de Recherche pour le Développement (IRD) e Centre Nationale de la Recherche Scientifique (CNRS). Além disso, a FAPERJ foi recebida no centro de pesquisa da PSA Peugeot Citroën, situado em Vélizy, nos arredores de Paris, em que se fez uma profunda avaliação de edital recentemente lançado em parceria com a instituição francesa.

Na avaliação de Ruy Marques, a missão teve grande êxito: “Em todas as instituições, fomos muito bem recebidos e pudemos apresentar dados relativos ao Brasil, ao estado do Rio de Janeiro e à FAPERJ. A impressão que tivemos foi a de que teremos acordos bilaterais assinados brevemente, possibilitando o lançamento de editais conjuntos, que é o nosso objetivo. Este esforço para a internacionalização das atividades da FAPERJ se iniciou em 2010, com o lançamento do programa “doutorado-sanduíche”, que alcançou grande sucesso e que vem permitindo a inserção de muitos de nossos doutorandos em excelentes instituições, de diversas partes do mundo. A ele se seguiu o programa “doutorado-sanduíche reverso”, em que doutorandos de programas de pós-graduação de instituições estrangeiras passaram a ter a possibilidade de desenvolver parte de suas teses em colaboração com pesquisadores fluminenses de diversas instituições. Não há dúvida que esses dois programas poderão facilitar, e muito, as parcerias de nossos programas de pós-graduação com as melhores instituições estrangeiras”.

E continuou Marques: “Temos estimulado a vinda de pesquisadores visitantes, por curtos ou longos períodos de tempo, para instituições fluminenses, assim como temos participado do programa federal Ciência sem Fronteiras, inclusive com a vinda de um pesquisador laureado com o Prêmio Nobel em Química, que vem desenvolvendo suas pesquisas em parceria com pesquisadores do Instituto de Bioquímica da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Também vimos desenvolvendo parcerias com agências e instituições de muitos países, por meio de um crescente número de editais para colaboração internacional no desenvolvimento de pesquisas. É o caso do Consejo Nacional de Investigaciones Científicas y Técnicas (Conicet), da Argentina, da Columbia University, dos Estados Unidos, da Universidad de La Frontera ( Ufro), do Chile, da Fundação Nacional Suíça da Pesquisa Científica (Suíça), da Sociedade Alemã de Amparo à Pesquisa (DFG), da Alemanha, do Institut National de Recherche en Informatique et en Automatique (Inria), da França, além de outros, sobretudo com instituições do Reino Unido e de muitos outros países da América Latina.”

Jerson Lima também se manifestou a respeito do tema: “Os esforços para a internacionalização de nossas atividades vão continuar e, tenho certeza, levarão a bons resultados. Faz parte da missão da FAPERJ a disponibilização de ferramentas para que a comunidade científica fluminense possa desenvolver parcerias que gerem produção científica conjunta na fronteira do conhecimento com pesquisadores das mais importantes instituições de ensino e pesquisa mundiais. Não há dúvida de que essa cooperação já existe, em muitos casos, mas temos que fornecer meios para que ela possa ser ampliada, com o intercâmbio de pós-graduandos e pesquisadores, tanto do estado do Rio de Janeiro para o exterior, como vice-versa.”


Sorbonne-Universités

 Divulgação

  

     Da esq. para a dir.: Rex Nazaré, Ruy Marques, Michael
Matlosz,diretor da ANR, Jerson Lima e Nakita Vodjani, da ANR       

A FAPERJ firmou acordo de cooperação com Sorbonne-Universités em cerimônia realizada no dia 30 de maio, em Paris. Durante a reunião, as partes concordaram em lançar edital bilateral para o apoio a projetos de pesquisa conjunta entre pesquisadores do estado do Rio de Janeiro e seus pares da comunidade da Sorbonne-Universités, ainda em 2014.

Participaram da cerimônia e reunião, além da delegação da FAPERJ e da Adida Científica do Consulado da França no Rio de Janeiro, Florence Puech: Jean Chambaz, presidente da UPMC (signatário); Barthélémy Jobert, Presidente de Paris-Sorbonne; Danielle Seilhean, vice-presidente para Relações Internacionais; Véronique Atger, diretor de Pesquisa da Sorbonne Universités; e Cornelia Marin, diretora de Relações Internacionais da Sorbonne-Universités.

Sorbonne-Universités é um grupamento constituído em 2010, uma comunidade de universidades e estabelecimentos, que conta, até a presente data, com oito membros: as universidades de Paris-Sorbonne (Letras, Artes e Ciências Humanas e Sociais) e Pierre et Marie Curie (Ciências, Engenharia e Medicina); uma escola de engenharia – Université de Technologie Compiègne; uma escola de negócios – Insead; o Museu Nacional de História Natural; e três organismos nacionais de pesquisa – o CNRS, o Institut Nationale de la Santé et de la Recherche Médicale (Inserm) e o IRD.

ANR (Agence Nationale de la Recherche)

O objetivo da reunião foi a discussão de um acordo de cooperação científica entre a FAPERJ e a ANR. Ambas as instituições pretendem lançar um edital bilateral ainda no ano de 2014, possivelmente até julho.

Participaram da reunião, além da delegação da FAPERJ e da adida científica do Consulado da França no Rio de Janeiro, Florence Puech: Michael Matlosz, diretor geral adjunto da ANR; Nakita Vodjdani, responsável pelo programa STIC e pela cooperação europeia e internacional; e Candice Boudet, gerente de cooperação europeia e internacional.

Desde 2005, ano de sua criação, a ANR se tornou o principal órgão de fomento na França. Os fundos da ANR são aplicados em todas as áreas do conhecimento, seja para pesquisa básica ou aplicada, em organizações de pesquisa e universidades de toda a França, bem como em empresas privadas, por meio de parcerias público-privadas.

A ANR aplicou cerca de 550 milhões de euros em auxílios para a pesquisa em 2012 e já financiou mais de 11 mil projetos desde sua criação. Desse modo, é um parceiro chave para estimular e garantir a já importante cooperação científica entre instituições de ensino e pesquisa do estado do Rio de Janeiro e seus pares franceses.

Instituto Pasteur

Fundado pelo próprio Louis Pasteur, no dia 4 de junho de 1887, e inaugurado no ano seguinte, o Instituto Pasteur é uma fundação privada, sem fins lucrativos, dedicada ao estudo da biologia, microrganismos, doenças e vacinas.

Hoje, a fundação conta com uma rede internacional de Institutos Pasteur (RIIP) – parceria de 32 institutos de pesquisa e de saúde pública repartidos em cinco continentes, dentre os quais se encontra a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro.

Participaram da reunião, além da delegação da FAPERJ e da adida científica do Consulado da França no Rio de Janeiro, Florence Puech: Christian Bréchot, diretor geral; Marc Jouan, secretário geral da divisão internacional; Anna-Bella Failloux, chefe da unidade de arboviroses e vetores; Fabrice Chrétien, chefe da unidade de histopatologia humana e de modelos animais; Daniel Scott-Algara, unidade do regulamento de infecções retrovirais; Magnus Fontes, assessor RIIP e, bioinformática; Frédéric Ariey, da unidade de investigação genética e genômica de insetos vetores; Eliane Coëffier, assessora da divisão internacional; Vincent Brignol, gerente de projetos da Associação Pasteur – Rede Internacional; e Ricardo Lourenço, pesquisador do Instituto Oswaldo Cruz (Fiocruz) e do Instituto Pasteur.

IRD (Institut de Recherche pour le Développement)

 Divulgação

       

   Instituto Pasteur foi uma das instituições
visitadas pela diretoria da Fundação

O IRD é um organismo de pesquisa tão original quanto único na paisagem europeia da pesquisa para o desenvolvimento. Privilegiando a interdisciplinaridade, há mais de 65 anos, o IRD centra suas pesquisas nas relações entre o homem e seu meio, na África, no Mediterrâneo, na América Latina, na Ásia e no além-mar tropical francês. Suas atividades de pesquisa, de formação e de inovação objetivam contribuir com o desenvolvimento social, econômico e cultural dos países do Sul. Os programas de pesquisa do IRD se orientam em torno de três eixos: Ciências da Saúde, Ciências Humanas e Sociais e Ciências Naturais.

FAPERJ e IRD pretendem firmar um acordo de cooperação e lançar um edital bilateral ainda em 2014.

Participaram da reunião, além da delegação da FAPERJ e da adida científica do Consulado da França no Rio de Janeiro, Florence Puech: Jean Joinville Vacher, diretor geral de geoestratégia e parcerias; e Abdel Sifeddine, Coordenador do LMI Paléotraces, baseado na Universidade Federal Fluminense (UFF).

PSA (Peugeot Citroën)

O objetivo da reunião era visitar as instalações de pesquisa da PSA Peugeot Citroën. A visita se deu no Laboratório de Realidade Virtual, em Vélizy, região parisiense, e seguiu-se uma troca de visões sobre os resultados obtidos do programa “Apoio ao desenvolvimento de motores e biocombustíveis mutualmente adaptados no Estado do Rio de Janeiro – 2013 – Cooperação FAPERJ/PEUGEOT”.

O objetivo foi o da realização de projetos que visassem ao estudo e provimento de soluções para temas na área de motores e biocombustíveis indicados no edital, de forma a contribuir de maneira efetiva para o desenvolvimento socioeconômico do estado do Rio de Janeiro, agregando desenvolvimento do know how e das tecnologias pertinentes para o grupo PSA Peugeot Citroën e para a FAPERJ, com foco na redução de emissões de CO2, acompanhando a evolução legal e tecnológica do setor.

Puderam submeter propostas pesquisadores vinculados a instituições de ensino e pesquisa e/ou a empresas brasileiras.

Na ocasião, foram debatidos aspectos relativos aos projetos aprovados no referido edital, seguindo-se discussão sobre as próximas ações a serem implementadas, ficando evidente que procuram uma parceria duradoura com a FAPERJ, o que poderá possibilitar o lançamento de novos editais.

Participaram da reunião, além da delegação da FAPERJ e da adida científica do Consulado da França no Rio de Janeiro, Florence Puech: Sylvain Allano, diretor científico e tecnologias do futuro; Erwann Samson, referente científico; Stéphane Delalande, responsável da rede StelLab; Solange Loubière, responsável pela execução da rede StelLab; Jean-Marc Mousset, responsável de parcerias da Universidade PSA; Géraldine Graff, responsável pelo plano de materiais; Laurent Rota, responsável pelo polo científico "Ciência dos Materiais e Mecânica estruturais"; Louis David, especialista em materiais; e Thierry Chériot, encarregado da inteligência tecnológica.

Rex Nazaré considerou altamente produtiva a reunião realizada, haja vista que se pôde conhecer mais profundamente os interesses da instituição: “A PSA foi a primeira instituição privada com que realizamos uma parceria. Sem dúvida, vislumbramos o desdobramento de novas ações e a discussão do edital e dos projetos aprovados foi de grande relevância. Certamente, isso poderá servir de um grande direcionamento para parcerias que vimos buscando com outras instituições privadas.”

CNRS (Centre Nationale de la Recherceh Scientifiqué)

O objetivo da reunião foi discutir um acordo entre a FAPERJ e o CNRS que possa permitir o lançamento de um edital bilateral, contemplando todas as áreas do conhecimento, ainda no ano de 2014.

Participaram da reunião, além da delegação da FAPERJ e da adida científica do Consulado da França no Rio de Janeiro, Florence Puech: Patrick Nedellec, diretor do departamento de relações internacionais; Claire Giraud, diretora adjunta; Antonia Alcaraz, responsável pela América Latina; Jean-Pierre Briot, representante do CNRS no Brasil; Franc Pattus, diretor adjunto científico do Instituto de Ciências Biológicas (INSB); Anne Doucet, coordenadora científica para assuntos internacionais do Institute for Computer Sciences (INS2I); Giancarlo Faini, diretor adjunto científico do Instituto de Física (INP); e Subbarao Bassava, responsável por relações internacionais do INP;

Fundado em 1939, o CNRS é a maior instituição pública de pesquisa francesa com caráter multidisciplinar, atuando em todas as áreas do conhecimento. Com um orçamento de mais de 3,4 bilhões de euros em 2013, o CNRS emprega cerca de 36.000 mil pessoas, entre pesquisadores, técnicos e pessoal administrativo, contando com mais de 1.000 unidades de pesquisa distribuídas por toda a França e por muitos outros países. Mantém dez missões permanentes fora do território francês, uma das quais se encontra no Brasil, no Rio de Janeiro. As demais estão sediadas em Bruxelas, Hanoi, Malta, Moscou, Nova Dehli, Pequim, Pretoria, Tokyo, e Washington. Entre 2009 e 2012, o CNRS realizou 1.053 missões científicas no Rio de Janeiro, mais do que em qualquer outro estado brasileiro.

 

 

Compartilhar: Compartilhar no FaceBook Tweetar Email
  FAPERJ - Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro
Av. Erasmo Braga 118 - 6º andar - Centro - Rio de Janeiro - RJ - Cep: 20.020-000 - Tel: (21) 2333-2000 - Fax: (21) 2332-6611

Página Inicial | Mapa do site | Central de Atendimento | Créditos | Dúvidas frequentes