O seu browser não suporta Javascript!
Você está em: Página Inicial > Comunicação > Arquivo de Notícias > Fundação anuncia financiamento a 39 projetos aprovados em edital
Publicado em: 15/05/2014

Fundação anuncia financiamento a 39 projetos aprovados em edital

A diretoria da Fundação anuncia a listagem dos contemplados na quarta edição do edital Apoio ao Estudo de Doenças Negligenciadas e Reemergentes. Os 39 aprovados dividirão um total de recursos de R$ 5 milhões. Das seis instituições beneficiadas, aquela que teve maior número de projetos foi a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), que aprovou 16 propostas. A Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) teve 11 projetos beneficiados, a Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) teve cinco, a Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf) aprovou três projetos, enquanto a Universidade Federal Fluminense e a Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) tiveram, cada, duas propostas beneficiadas.

Voltado a incentivar o conhecimento em torno da prevenção, diagnóstico e tratamento de doenças negligenciadas, aquelas que pouco merecem o interesse da indústria farmacêutica e, muitas vezes, terminam ressurgindo entre as camadas menos favorecidas da população. É o caso da dengue, cisticercose, doença de Chagas, esporotricose, esquistossomose, febre amarela, filariose, hanseníase, leishmaniose, leptospirose, malária, paracoccidiose, riquetsiose e tuberculose. Nesse sentido, o programa visa apoiar propostas que demonstrem aplicabilidade clínica e viabilidade em se tornar objeto de ações públicas que ampliem a qualidade de vida do fluminense. Para tanto, quando preciso, o edital contempla linhas de apoio, em que se incluem vetores, epidemiologia, vigilância, controle, diagnóstico clínico e laboratorial, tratamento, prognóstico e vacinas.

Puderam ser proponentes equipes constituídas por grupos de pesquisadores com vínculo empregatício ou funcional em instituições de ensino superior ou pesquisa fluminenses, entre os quais foi designado um coordenador, responsável pelo encaminhamento do projeto, com anuência de sua instituição de origem. Os demais participantes da equipe foram considerados pesquisadores associados. Coordenador e pesquisadores associados deveriam ter grau de doutor ou equivalente, e produção científica ou tecnológica de qualidade na área objeto da pesquisa, em especial nos últimos cinco anos. Da equipe puderam fazer parte ainda pós-doutorandos, pós-graduandos, estagiários e funcionários técnico-administrativos do quadro das instituições partícipes.

Quando necessário, também se tornou obrigatória a aprovação ou comprovação de submissão dos projetos aos respectivos comitês, seja a Comissão de Ética no Uso de Animais (Ceua), ou, quando se tratava de pesquisa clínica, o Comitê de Ética em Pesquisa (CEP) e a Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep).

Enquadradas em uma de duas faixas de acordo com o montante solicitado, as propostas inscritas foram classificadas na Faixa A – entre R$ 200.001 e R$ 400 mil – com mínimo de cinco pesquisadores doutores; ou na Faixa B – até R$ 200 mil – mínimo de três pesquisadores doutores. Com os recursos do programa, poderão ser custeadas despesas de capital, como aquisição de materiais permanentes e equipamentos, e obras e instalações de grande porte; e despesas de custeio, em que se classificam material de consumo, componentes e/ou peças de reposição de equipamentos, serviços de terceiros (pessoas físicas e jurídicas), com caráter eventual, diárias e passagens (desde que compreendam despesas necessárias para o desenvolvimento do projeto de pesquisa; não serão permitidas diárias e passagens para participação em reuniões científicas) e despesas acessórias de importação.

Especialmente designado pela Fundação, o Comitê Especial de Julgamento, encarregado de avaliar os projetos submetidos, analisou, entre vários outros critérios, a originalidade de inovação, sua aplicabilidade clínica, a possibilidade de definir políticas públicas voltadas para melhorar a qualidade de vida da população, assim como sua relevância para o desenvolvimento científico, tecnológico, econômico, ambiental e social fluminense.

Os contemplados agora deverão aguardar contato, via correio eletrônico, da Fundação, avisando sobre a entrega de seus termos de outorga.

 

Confira a íntegra dos contemplados no edital Apoio ao Estudo de Doenças Negligenciadas e Reemergentes

Compartilhar: Compartilhar no FaceBook Tweetar Email
  FAPERJ - Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro
Av. Erasmo Braga 118 - 6º andar - Centro - Rio de Janeiro - RJ - Cep: 20.020-000 - Tel: (21) 2333-2000 - Fax: (21) 2332-6611

Página Inicial | Mapa do site | Central de Atendimento | Créditos | Dúvidas frequentes