O seu browser não suporta Javascript!
Você está em: Página Inicial > Comunicação > Arquivo de Notícias > Notas 438 - Semana de 20 a 26 de junho de 2013
Publicado em: 20/06/2013

Notas 438 - Semana de 20 a 26 de junho de 2013

 Divulgação

         
     Vitor Ferreira: homenagem do
    Conselho Regional de Química


Assessor da FAPERJ recebe medalha Lavoisier pelo Conselho Regional de Química
Presidente da Associação Brasileira de Química (ABQ), o assessor da diretoria científica da FAPERJ, Vitor Ferreira, será homenageado pelo Conselho Regional de Química – 3 Região (CRQ-3) nesta sexta-feira, 21 de junho, às 18 horas, no auditório da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) (Av. Graça Aranha, 1, 13 andar, Centro). O prêmio concedido, de periodicidade anual, é a medalha Lavoisier – pelo mérito acadêmico, oferecido àqueles que se destacaram na área de Química. A premiação faz parte de uma programação realizada todo ano pela CRQ-3 para homenagear o Dia do Químico, celebrado no dia 18 de junho, com comemorações que se estendem durante uma semana, iniciadas na segunda-feira, 17 de junho. Na programação das festividades, foram realizadas palestras em diversas instituições, incluindo a Escola Técnica Rezende Rammel, a Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e a Universidade Federal Fluminense (UFF). Mais informações:
forum.crq3.org.br

Divulgação 
      

Francisco Radler coordena     
  o Ladetec, do IQ-UFRJ

Francisco Radler se torna professor emérito pela UFRJ
O professor Francisco Radler de Aquino Neto receberá, nesta segunda-feira, 24 de junho, título de professor emérito pela UFRJ. Radler é titular do Instituto de Química da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), coordenador geral do Laboratório de Apoio ao Desenvolvimento Tecnológico (Ladetec, do IQ-UFRJ), e Cientista do Nosso Estado da FAPERJ. A cerimônia será realizada às 18h, no Salão Eletrobras do Colégio Brasileiro de Altos Estudos da UFRJ (Av. Rui Barbosa,762, Flamengo). Mais informações: (21) 2598-9622.

Cerimônia no campus do Gragoatá marca inauguração de novos prédios da UFF
Nesta quarta-feira, 19 de junho, foram inaugurados dois novos espaços da Universidade Federal Fluminense (UFF): um novo prédio da Faculdade de Economia, que deixa de ser uma unidade isolada e passa a integrar o campus do Gragoatá, e o prédio da Faculdade de Veterinária, no bairro de Santa Rosa. As obras fazem parte do projeto de expansão das universidades federais por meio do Programa de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (Reuni). Iniciativa do governo federal, o programa tem como objetivo a ampliação do acesso e permanência no ensino superior. A partir dele, a UFF tem buscado expandir a oferta de cursos de graduação e de pós-graduação, assim como o número de vagas para os alunos. A melhoria da qualidade do ensino, a inclusão social e a construção de novas sedes para algumas unidades são outras metas do programa. O evento ocorreu no campus Gragoatá, no próprio prédio da Faculdade de Economia que estava sendo inaugurado, e contou com a presença do diretor de Tecnologia da FAPERJ, professor Rex Nazaré. Fizeram parte da mesa da cerimônia de abertura dos novos prédios o secretário executivo do Ministério da Educação, José Henrique Paim; o reitor da UFF, Roberto Salles; o vice-reitor, Sidney Mello; o prefeito de Niterói, Rodrigo Neves; a diretora de Desenvolvimento da Rede de Instituições Federais de Ensino do Ministério da Educação, Adriana Weska; o diretor da Faculdade de Economia, Alberto Di Sabbato; a diretora da Faculdade de Veterinária, Nádia Almosny; o pró-reitor de Assuntos Estudantis, Sérgio Mendonça; o reitor da Universidade Iguaçu (Unig), Júlio César da Silva; o secretário executivo da presidência da República, Carlos Gabas; o reitor da Uni-Rio, Luiz Pedro Jutuca; e o diretor do Cefet, Carlos Henrique Alves. Mais informações:
www.uff.br

FAPERJ fará entrega de termos de outorga no Palácio Guanabara
Pesquisadores da FAPERJ receberão na próxima terça-feira, 25 de junho, às 10 horas, no Salão Nobre do Palácio Guanabara, 294 outorgas de 12 programas de fomento da instituição. São eles: Apoio a Programas de Pós-Graduação Stricto Sensu em Universidades Estaduais; Apoio à Pesquisa em Transplante de “rgãos e Tecidos no Estado do Rio de Janeiro; Apoio à Atualização de Acervos Bibliográficos nas Instituições de Ensino Superior e Pesquisa; Apoio à Inovação Tecnológica; Apoio a Projetos de Pesquisa na Área de Humanidades; Apoio à Produção e Divulgação das Artes no Estado do Rio de Janeiro; Apoio à Implantação, Recuperação e Modernização da Infraestrutura para Pesquisa nas Universidades Estaduais do Rio de Janeiro; Apoio à Instituição Estadual de C&T – Faetec; Apoio à Pesquisa Agropecuária no Estado do Rio de Janeiro; Apoio à Instituição Estadual de Educação Superior a Distância e Divulgação Científica – Cecierj/Cederj; Apoio às Engenharias; Estágio de Doutorando no exterior (doutorado-sanduíche). Mais informações:
www.faperj.br

Câmara Municipal homenageia médico e professor da Uerj

Professor e médico do Hospital Universitário Pedro Ernesto, vinculado à Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) e pesquisador da FAPERJ, Roger Abramino Levy receberá a Medalha de Mérito Pedro Ernesto, conferida pela câmara dos vereadores do Rio de Janeiro. A cerimônia será na próxima segunda-feira, 24 de junho, às 18 horas, no plenário Teotônio Villeda, no Palácio Pedro Ernesto (Praça Floriano s/ número, na Cinelândia).

Reitoria da UFRJ informa falecimento do diretor do Instituto de Química
A reitoria da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) informa o falecimento do professor e diretor do Instituto de Química (IQ), Joab Trajano Silva, vítima de um infarto fulminante na última quinta-feira, 13/6. O velório e sepultamento aconteceram no cemitério Jardim da Saudade, em Mesquita. Joab tinha 48 anos e assumiu a direção do Instituto em outubro de 2012. Graduado em Biologia (Modalidade Genética), em 1986, pelo Instituto de Biologia da UFRJ, concluiu mestrado (1989) e doutorado (1996) em Bioquímica pelo Instituto de Química da mesma universidade. Era professor adjunto do IQ/UFRJ, tendo sido eleito para o cargo de vice-diretor do instituto (2004-2008), reeleito para o período de 2008-2012 e eleito para o cargo de diretor (gestão 2012-2016). Foi coordenador do programa de pós-graduação em Bioquímica (2007-2009) e estava atuando como orientador credenciado do programa de pós-graduação em Ciência de Alimentos (IQ/UFRJ). As principais linhas de pesquisa em que atuava eram lectinas de plantas, peptídeos bioativos e detecção de contaminantes microbianos da cadeia alimentar por técnicas de biologia molecular. Mais informações: www.ufrj.br

Livro que aborda a protelação em trabalhos acadêmicos será lançado
Entre grande parte de mestrandos e doutorandos, que afeta diretamente os orientadores, existe um problema clássico: a dificuldade do aluno em conduzir e concluir adequadamente sua tarefa em tempo. Pensando nisso, o psicólogo e engenheiro que já orientou 56 dissertações de mestrado e 18 teses de doutorado, Cláudio Mahler, diretor de Administração e Finanças da FAPERJ, lança o livro O Prazer no Desprazer: a Tragédia do Protelador, em 8 de julho, na Livraria Argumento (Rua Dias Ferreira, 417, no Leblon), em evento que terá início às 19h30. O livro, publicado pela editora Mauad X, e apoiada pela FAPERJ por meio do Programa de Auxílio à Editoração (APQ 3), busca servir como esclarecimento e estímulo para que seus leitores possam refletir sobre o comportamento procrastinador e, com isso, conseguir impulsionar suas dissertações de mestrado e teses de doutorado de forma mais adequada, sem falar em outros aspectos da vida.

Produção de medicamentos biológicos é ampliada no Brasil
Para acelerar a produção nacional de 14 novos biológicos, o Ministério da Saúde inaugura modelo competitivo de parceria entre laboratórios públicos e privados. Novas 27 parcerias entre laboratórios públicos e privados, articuladas pelo Ministério da Saúde, vão resultar na produção nacional de 14 biológicos, que serão fabricados a partir de um novo modelo competitivo de Parceria para o Desenvolvimento Produtivo (PDP), envolvendo vários laboratórios para a manufatura de cada produto. O objetivo é gerar competição entre eles e estimulá-los a acelerar a transferência de tecnologia para alcançar a produção 100% nacional. Com as medidas, o país vai produzir 25 biológicos. São produtos de última geração e de alto custo para o tratamento de câncer de mama, leucemia, artrite reumatoide, diabetes, oftalmológicos, um cicatrizante, um hormônio de crescimento e uma vacina alergênica. Os novos produtos representam atualmente um gasto de R$ 1,8 bilhão por ano nas compras públicas do Ministério da Saúde.  A produção nacional deve gerar economia de R$ 225 milhões por ano. O ministério vai investir também R$ 170 milhões na construção da primeira fábrica nacional de produtos biológicos feitos a partir de célula vegetal, tecnologia inédita no País, no Ceará. As medidas foram anunciadas dia 18 de junho, em Brasília, pelo ministro da Saúde, Alexandre Padilha, durante encontro do Grupo Executivo do Complexo Industrial da Saúde (Gecis), que reúne os principais atores da indústria farmacêutica nacional além de seis ministérios, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e o Banco Nacional do Desenvolvimento Social (BNDES). As 27 parcerias para a produção dos medicamentos incorporam 11 medicamentos no desenvolvimento nacional e englobam outros três cujas parcerias já haviam sido firmadas no novo modelo (insulina, etanercepte e rituximabe). Com a produção nacional, diminui o risco de o País ser surpreendido pela suspensão da produção de um medicamento por um laboratório privado internacional, como ocorreu este ano com o L-Asparaginase, que trata a leucemia aguda infantil. Este é um dos medicamentos contemplados entre as parcerias, envolvendo a Fiocruz e os laboratórios privados NT Pharma e United Biotec. A expectativa é que em 2015 o L-Asparaginase produzido nacionalmente já esteja disponível no Sistema Único de Saúde (SUS). Estão contemplados nas parcerias o medicamento mais caro ofertado pelo SUS, o Adalimumabe, contra artrite reumatoide, e o Trastuzumabe, incorporado recentemente para o tratamento de mulheres com câncer de mama, entre outros. Ao todo, 17 laboratórios privados vão transferir tecnologia para oito laboratórios públicos até que eles ganhem autonomia total de produção. O MS inovou nos arranjos entre os parceiros, envolvendo mais de um laboratório público e privado para o desenvolvimento de cada produto.  Assim, cada laboratório privado terá garantido uma fatia das vendas do medicamento ao ministério conforme sua capacidade de produção. A intenção é estimular a concorrência para reduzir os custos e o prazo de conclusão do processo de transferência tecnológica, que geralmente leva cinco anos, período no qual o governo federal garante exclusividade na compra dos medicamentos produzidos pelos laboratórios privados parceiros. Com os novos acordos, o país conta hoje com 90 Parcerias para o Desenvolvimento Produtivo (PDPs) que envolvem a transferência de tecnologia de 77 produtos. Mais informações:
http://www.saude.gov.br/

Brasileiros podem conquistar Medalha Fields
A Medalha Fields pode ser, pela primeira vez, entregue a um brasileiro. O prêmio, que pode ser considerado o equivalente ao Nobel da matemática, é restrito a matemáticos jovens, com menos de 40 anos; dois pesquisadores do Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (Impa) aparecem como possíveis candidatos, ambos pesquisadores da FAPERJ: Fernando Codá Marques, Jovem Cientista do Nosso Estado, e Artur Avila, Doutorado Nota 10, ambos com 33 anos. Além da idade, os perfis de Codá e Avila têm outras interseções. Para começar, os dois alcançaram notoriedade internacional graças a seus trabalhos para resolver problemas que há décadas perturbavam os matemáticos de todo o mundo. Ambos também estão no conjunto de apenas três brasileiros já chamados para serem palestrantes plenaristas no congresso.

Presidente do Confap é o novo membro do Conselho Deliberativo do CNPq
Na quarta-feira, dia 12 de junho, o presidente do Conselho Nacional das Fundações de Amparo à Pesquisa (Confap), Sergio Gargioni, tomou posse como novo membro do Conselho Deliberativo do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), maior instância de poder decisório do órgão. Gargioni faz parte de um grupo composto por representantes do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e de entidades representativas da comunidade científica como a Associação Brasileira das Instituições de Pesquisa Tecnológica e Inovação (Abipti) e a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC).O Conselho Deliberativo do CNPq tem como principais competências: formular propostas para o desenvolvimento científico e tecnológico do País; apreciar a programação orçamentária e definir critérios orientadores das ações da entidade; e aprovar as normas de funcionamento dos colegiados. Mais informações:
www.cnpq.br

Compartilhar: Compartilhar no FaceBook Tweetar Email
  FAPERJ - Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro
Av. Erasmo Braga 118 - 6º andar - Centro - Rio de Janeiro - RJ - Cep: 20.020-000 - Tel: (21) 2333-2000 - Fax: (21) 2332-6611

Página Inicial | Mapa do site | Central de Atendimento | Créditos | Dúvidas frequentes