O seu browser não suporta Javascript!
Você está em: Página Inicial > Comunicação > Arquivo de Notícias > Universidade da Zona Oeste empossa novo reitor e anuncia novos planos
Publicado em: 05/02/2009

Universidade da Zona Oeste empossa novo reitor e anuncia novos planos


Vinicius Zepeda

Carlos Magno/Ascom Palácio Guanabara

A Uezo formará a primeira turmaem agostodesteano e anuncia
novos planos como um concurso para contratação de professores


A Zona Oeste, região da cidade do Rio de Janeiro que compreende 50% do território do municípioe 41 bairros ao todo, está na ordem do dia das discussões acerca do crescimento social e econômico. Numa área que abrange Campo Grande, Bangu, Realengo, Santa Cruz, Sepetiba, Guaratiba, Barra da Tijuca, Jacarepaguá, Recreio dos Bandeirantes, Itanhangá, Vargem Grande e Vargem Pequena,é consenso entre políticos, estudiosos e especialistas que a melhoria dos serviços do município implicamaiores investimentos. Um desses investimentosestá sendo feitono Centro Universitário da Zona Oeste (Uezo), universidade inaugurada em 2005 em Campo Grande. Ainda desconhecida entre a maior parte da população da cidade, a Uezo cresce e aparece,preparando-se para formar sua primeira turma de alunos em agosto deste ano. Nesta quinta-feira, 5 de fevereiro, em cerimônia realizada no Palácio da Guanabara, foi empossado o novo reitor da universidade, o médico e professor emérito da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), Roberto Soares de Moura. Entre seus projetosestão a implantação do plano de cargos e salários para docentes equadro técnico, recentemente aprovado pela Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (ALERJ), ea realização doprimeiro concurso para o provimento das vagas para professores e técnicos da instituição. Soares de Moura espera poder lançar, ainda em fevereiro, o edital com 30 vagas para contratação de professores com doutorado.

A solenidade contou com a presença do governador Sérgio Cabral; dovice-governador e secretário estadual de Obras, Luis Fernando Pezão; do secretário estadual de Ciência & Tecnologia, Alexandre Cardoso; do presidente da FAPERJ, Ruy Garcia Marques; do reitor da Uenf, Almy Junior; da secretária estadual de Educação, Teresa Porto; dosecretário de estado de Planejamento e Gestão, Sergio Rui Barbosa;e da vice-presidente de ensino, informação e comunicação da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Maria do Carmo Leal, alémde diversas autoridades estaduais e municipais,reitores e professores de instituições de ensino e pesquisa de todo o estado. Soares de Moura assumiu a reitoria em substituição ao reitor interino, Roberto Boclin. A solenidade, realizada pela manhã, serviu ainda para anunciar diversas mudanças fundamentais consolidar a instituição. Antes vinculada à Fundação de Apoio à Escola Técnica do Estado do Rio de Janeiro (Faetec),a Uezo agora passa a ter autonomia financeira para gerir seus recursos e estabelecer parcerias e convênios com outras instituições de ensino e pesquisa. Sobre o concurso voltado para professores, o novo reitor explica que os salários serão iguais aos da Uerj:acima de R$ 3 mil. Ao todo, Soares de Moura espera realizar concursos até atingir a meta de 170 professores.

Outra meta estabelecida é o investimento na formação de mão-de-obra nas seis áreas do setor tecnológico já existentes na universidade: construção naval, siderurgia, polímeros (plástico), fármacos, biotecnologia e computação. “Antes de ser empossado, quando havia sido nomeado para o cargo, procurei o comandante da Marinha do Brasil. Ele se mostrou extremamente receptivo em estabelecer uma parceria para formarmos mão-de-obra especializada aconstrução naval. Também entrei em contato com o diretor do Laboratório Farmacêutico Servier, que vai inaugurar uma nova fábrica em Jacarepaguá, para que nossos alunos possam sair formados e já com emprego no local”, explicou Soares de Moura.

Vinicius Zepeda
Em seu discurso, o novo reitor destacou o modelopioneiro
da Uezo com a formação de tecnólogos de nível superior

O novo reitor também destacou o modelo pioneiro e inovador da nova universidade. “O Brasil éo 14 país do mundo em produção de ciência em todo o mundo. O número de trabalhospublicadas em periódicos científicos de renome internacional por autores brasileiros aumenta gradativamente. Porém, o número de estudos que é transformado em bens, serviços e produtos que tragam benefícios para a sociedade é irrisório. Para crescermos, como fizeram países como Estados Unidos, Japão, Alemanha e, posteriormente, a Coréia do Sul, precisamos acabar com esse problema. Para isso, vamos criar um setor de patentes para que possamos gerar produtos e trazer royalties para nossa universidade”, acrescentou. O novo reitordestacou aindaque pesquisadores da Uerj já registraram no Instituto Nacional da Propriedade Intelectual (INPI) um novo produto odontológico, composto de extrato de açaí, que será produzido nas indústrias da Zona Oeste.

Um verdadeiro Eldorado carioca

Já o reitor interino da Uezo, Roberto Boclin, recordou a história e vocação econômica da Zona Oeste, e destacou a pesquisa realizada pela economista Renata La Rovere, do Instituto de Economia da UFRJ, que traçou um panorama da economia do local. O trabalho, contemplado com o edital Pensa Rio, da FAPERJ, chama a atenção para algumas peculiaridades da região. “Segundo a economista, a Zona Oeste tem uma mão-de-obra de nível secundário altamente qualificada em relação ao resto da cidade: 45% dos jovens tem ensino médio completo contra 39% do Rio de Janeiro como um todo. Porém, quando vemos o nível superior, o resultado é bem abaixo do resto: 13,5% contra 26,1% em todo o Rio”, afirmou Boclin. “Antiga área agrícola, a região responde por 50% do total do município, com vários sitios, prédios e monumentos históricos importantes, com destaque para o potencial ecoturístico, abrangendoespaços que respondem pela maior cobertura de mata atlântica original do estado, como o maciço de Gericinó, a Serra do Mendanha e o Parque Estadual da Pedra Branca”, acrescentou.

Carlos Magno/Ascom Palácio Guanabara

A Uezo possui laboratórios de altíssimo nível para seus alunos
Boclin discorreu ainda sobre o potencial de crescimento local e a importância do papel da Uezo no processo. “De um total de 1,7 milhão de habitantes, a Zona Oeste tem 80 mil estudantes de ensino médio. No caso da Uezo, contamosatualmente com 900 alunos matriculados e 117 docentes, laboratórios e equipamentos de altíssimo nível, com destaque para um microscópio eletrônico de varredura. Em todo o estado, poucas regiões têm tantos atrativos,que fazem dela um verdadeiro Eldorado carioca. Vale destacarmos aindaestabelecimentos locais, como o Estaleiro Verolme, o Porto de Sepetiba, a sede da Casa da Moeda e a construção do arco rodoviário, que ligará a Zona Oeste ao Pólo Petroquímico de Itaboraí”, destacou.

O secretário de C&T, Alexandre Cardoso, enfatizou a ousadia e o papel da Uezo no processo de mudança da cultura educacional do país. “Até o final de 2009 a universidade terá um novo campus num terreno paralelo ao antigo Instituto de Educação Sarah Kubitschek (onde funciona atualmente a Uezo),uma expansão com um novo campus, o primeiro da Zona Oeste. Tudo isso graças ao apoio do Ministério da Ciência e Tecnologia e da FAPERJ”, lembrou Cardoso. “Vale lembrarmos que em nosso país temos uma legislação discriminatória com o ensino técnico do país. Em nossa cidade, a Faetec e o Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (Cefet) são ótimas escolas de formação de técnicos no estado. Porém, como esses profissionais não são valorizados no mercado de trabalhoe o ensino secundário nessas instituições é de excelente nível, grande parte dos alunos presta vestibular e ingressam nas faculdadesestaduais”, explicou Cardoso. “Com o novo modelo de formação de tecnólogos de nível superior da Uezo, esperamos servir de modelode valorização do ensino técnico no país”, complementou.

Por último, ogovernador Sérgio Cabral chamou a atenção para a ousadia de aUezo estar instalada numa região esquecida por décadas e que não concentra os formadores de opinião da cidade. “Acompanhamos um feito histórico numa região que durante décadas foi esquecida por seus governantes. Retomamos os investimentos não só na Zona Oeste, mas em outro fator importantíssimo para o desenvolvimento do estado: a educação. Recentemente inaugurei em Campo Grande, com a presença do presidente Lula, uma nova planta das indústrias Michelin, o que gerará milhares de empregos. Além da Uezo, também temos implantado uma nova política educacional com a criação de vários Centros de Vocação Tecnológica (CVTs), voltados para formação de mão-de-obra técnica especializada em todo o estado”, conclui Cabral.

A mesa de abertura do evento contou ainda com a presença do secretário da Casa Civil, Régis Fitchner; do reitor da Uerj, Ricardo Vieiralves; do reitor da Universidade Federal Fluminense (UFF), Roberto Souza Sales; dopresidente do conselho de reitores da universidades brasileiras, Manasses Fontenelles; do vice-reitor da Uezo, Antônio João Carvalho Ribeiro; do presidente da Academia Nacional de Medicina, Marcos de Moraes; do comandante da Marinha Brasileira, Júlio Soares de Moura Neto e dos deputados coronel Jairo e Paulo Mello.

Compartilhar: Compartilhar no FaceBook Tweetar Email
  FAPERJ - Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro
Av. Erasmo Braga 118 - 6º andar - Centro - Rio de Janeiro - RJ - Cep: 20.020-000 - Tel: (21) 2333-2000 - Fax: (21) 2332-6611

Página Inicial | Mapa do site | Central de Atendimento | Créditos | Dúvidas frequentes